Pesquisa para identificar prevalência da Covid-19 em Lajeado começa neste sábado

Equipes da Univates irão para as ruas com equipamentos de proteção e crachá. Primeira etapa do teste terá seis dias.


0
Kits para as duplas eram finalizados na tarde desta sexta-feira, 29 (Foto: Natalia Ribeiro)

Equipados da cabeça aos pés com itens de segurança, além de crachás de identificação, funcionários e estudantes da Univates vão às ruas de Lajeado realizar a pesquisa Testa Lajeado. A aplicação dos testes rápidos, via sorteio, tem início na manhã deste sábado (30) e previsão se seguir até a próxima quinta-feira (2). Será a primeira etapa de um trabalho que busca conhecer a prevalência e a frequência da Covid-19 no município, que lidera os casos e a incidência da doença no RS.


OUÇA A ENTREVISTA


Na primeira fase, 1,5 mil pessoas serão testadas. Os endereços em que os testes serão realizados foram sorteados seguindo critérios de distribuição geográfica usados pelo IBGE. O resultado será conhecido em 15 minutos. A professora da Univates e enfermeira Ioná Carreno participou da formatação da pesquisa. Ela destaca que os aplicadores vão usar “máscara protetora, de tecido, N95, azul, que é própria para o coronavírus, gorro de proteção para o cabelo, na cabeça, protetor facial, no rosto, e luvas nas mãos”. A cada residência eles irão trocar o avental, que será descartável.

Professor e médico da Univates Rafael Picon (Foto: Natalia Ribeiro)

Serão 26 equipes, com duas pessoas em cada. Além do endereço, será sorteado o participante – em casas com mais de uma pessoa no momento da abordagem. Caso o teste rápido aponte resultado positivo, os demais integrantes serão examinados, mas com PCR. Este teste identifica se o vírus está ativo ou não no organismo da pessoa. Professor e médico, Rafael Picon, que também participou da estruturação do estudo, lembra que “o PCR agrega um valor que os outros estudos não têm feito”.

Conforme a Prefeitura, que faz o custeio da Testa Lajeado com o investimento de R$ 141 mil, será uma das maiores pesquisas do país para detectar a disseminação da doença. A ideia de fazer a Testa Lajeado surgiu em conversa entre o prefeito Marcelo Caumo (PP) e o reitor da universidade, Ney Lazzari. O médico reforça a expectativa.

“Posto em termos proporcionais acreditamos que sim, deve ser dos maiores testes já conduzidos para estudar coronavírus no Brasil, porque temos como meta estudar 1,5 mil adultos lajeadenses para representar os 64 mil adultos do município, o que é um grande tamanho de amostra e que confere grande precisão nos resultados”. A margem de erro da Testa Lajeado será de 1%, para mais ou para menos. “Vamos trabalhar com uma margem de erro bem estreita, o que é bom”, acrescenta Picon.

Como levará em conta informações do IBGE, a separação da pesquisa será aleatória. Mesmo assim, a professora Ioná acredita que “vamos estar em, praticamente, todos os bairros e de uma forma aleatória, ou seja, houve um sorteio dos lugares, das quadras”. A primeira etapa servirá como base para as seguintes. Vai ser a fase principal do estudo, que norteará as demais e revelará a circulação do vírus no município.

Professora da Univates e enfermeira Ioná Carreno (Foto: Natalia Ribeiro)

A identidade do testado será mantida em sigilo. Para controle interno, os pesquisadores irão preencher uma ficha com a data do teste, o resultado e a temperatura corporal. Ioná pede a colaboração da comunidade para que a pesquisa possa ser feita. “A gente aguarda que as famílias nos recebam para que a gente consiga realizar o estudo e que dessa forma consigamos responder para a população e a prefeitura as condições de saúde da população”.

A Testa Lajeado teve aprovação do Comitê Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) na última quarta-feira (27) e, por isso, a aplicação teve atraso de alguns dias. Nas três etapas cerca de 3,6 mil pessoas devem ser testadas. O resultado final ainda não tem data para ser conhecido, contudo, a primeira etapa poderá ter as informações divulgadas na segunda semana de junho. A saída a campo ocorre a partir das 8h deste sábado, com expediente de aplicação seguindo até as 18h.

Texto: Natalia Ribeiro

jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui