PM leva soco no rosto durante averiguação de aglomeração, em Estrela

Indivíduo ainda desferiu chutes em outros integrantes da guarnição que tentavam contê-lo


6
Imagem ilustrativa (Foto: Divulgação)

Um Polícia Militar (PM) foi agredido durante atendimento de uma ocorrência por volta das 00h05 desta quarta-feira (31), no Bairro Boa União, em Estrela.

A Brigada Militar (BM) recebeu denúncia de aglomeração que ocorria em uma residência, na Rua Andrêas Goelner. Doze pessoas estariam no local.

Ao ser solicitado que abrisse o portão o proprietário informou que não teria a chave. Naquele momento a guarnição local solicitou apoio de Lajeado. Durante o aguardo foi percebido que algumas pessoas pulavam um muro dos fundos da residência e fugiam por um terreno baldio.

Na sequência o proprietário abriu o portão, sendo identificadas seis pessoas no interior da casa. Um dos integrantes do grupo, de 27 anos, residente no Bairro Moinhos em Estrela, não aceitou passar por revista pessoal e desferiu um soco no rosto de um dos PMs. Além disso, desferiu chutes em outros integrantes da guarnição que tentavam contê-lo.

Após passarem por exames, as partes foram apresentadas na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Lajeado onde foi confeccionado o registro por lesão corporal e também pelo artigo 268 do Código Penal – infringir determinação do poder público, destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. MS

6 Comentários

  1. Com todo o respeito a BM, mas já se pode entrar em residência privada em um mandato judicial.
    A coisa já está assim?
    Até me provem o contrário, se não houve perturbação ao sossego público e não era uma festa pública em local fechado…
    Se era uma reunião de familiares ou conhecidos dentro da área privada de uma residência…
    Será que a invasão a propriedade privada está liberada?
    Veja bem, a reportagem não esclarece que tipo de “aglomeracão” ocorria no local, mas ate me provem o contrario se não houve contravenção a contravenção seria a propria invasão sem autorização judicial ou do proprietário da residência.
    Não vivemos sob estado de sítio ou de EXCESSÃO, os limites de cada um devem ser respeitados, aglomeração em ruas e locais publicos, mas 12 pessoas de tro de uma casa, convenhamos.
    Lógico que nada justifica a agressão, mas por que ela ocorreu? Houve abuso da autoridade?
    Novamente, dentro de uma residência privada sem ser constatado nenhum crime?
    Assustadora esta situação.
    A que ponto chegamos.

  2. Essa galera que segue um genocida e acredita em cloroquina, tratamento precoce, agora está se revoltando contra as forças armadas e também contra polícias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui