Polícia Civil de Arroio do Meio desenvolve nas escolas trabalho de orientação sobre a violência sexual

A conversa com os alunos teve o cunho de informar e alertar os adolescentes em relação aos possíveis abusos de vulnerável e abusos de menores de idade


0
Delegado Humberto Mesa Rohrig e policial civil Daniele Bagestan com equipe da secretaria de Educação e alunos da Escola Bela Vista (Foto: Divulgação)

Com o apoio da Prefeitura de Arroio do Meio, a Polícia Civil do município realizou um trabalho de orientação e prevenção sobre a violência sexual com os alunos do 6º ao 9º ano da rede municipal de ensino. A iniciativa partiu do delegado Humberto Mesa Rohrig, que por um ano e meio foi titular da delegacia arroio-meense.

Com duração de um mês e meio, as palestras sobre o tema foram conduzidas pela policial civil Daniele Bagestan. A conversa com os alunos teve o cunho de informar e alertar os adolescentes em relação aos possíveis abusos de vulnerável e abusos de menores de idade. A policial também ressaltou sobre a importância da criança ou adolescente relatar para alguém próximo, pais ou professores, se vier a acontecer algum abuso. Além disso, foi explicado aos alunos o papel da polícia civil na sociedade.

Conforme o delegado, o projeto teve início em Fazenda Vilanova e a intenção é que ele seja desenvolvido em outros municípios. “A ideia do projeto surgiu após a Polícia Civil perceber um aumento nos casos de violência sexual, especialmente no período da pandemia. Neste sentido, o objetivo é orientar os adolescentes para que saibam o que configura a violência sexual e não necessariamente uma agressão física. É uma forma de orientação, prevenção e de denúncia”, frisa Rohrig.

A decisão de envolver os alunos do 9º ano se deve, segundo o delegado, pela compreensão em decorrência da idade. “Ao mesmo tempo, não pode ser muito mais velho que isso, já que lei trata como violência sexual com abuso de vulnerável abaixo de 14 anos”. Ele destaca ainda que a ação teve retornos positivos, inclusive com denúncias. “As crianças se sentem à vontade para falar no momento que elas entendem o que está acontecendo. Essa aproximação quebra também um pouco essa casca”.

O projeto também busca uma proximidade da comunidade com a polícia, para desmistificar e não mostrar apenas o lado repressivo, mas também o lado social e humano desenvolvido pela instituição. A Polícia Civil de Arroio do Meio deverá dar continuidade com essa ação nos próximos anos. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui