Polícia Civil realiza projeto comunitário nas escolas de Lajeado de acordo com a realidade de cada local

Retomada do Núcleo de Polícia Comunitária começa pela Escola Estadual Moisés Cândido Veloso. Todas as redes de ensino vão participar das ações


0
Ação ocorrida na semana da mulher junto ao CIEP de Lajeado (Foto: Polícia / Divulgação)

Os seis policiais que integram o Núcleo de Polícia Comunitária da Polícia Civil de Lajeado estão retomando as ações do núcleo que aconteceram entre os anos de 2014 e 2019. A proposta, que começa na próxima semana, visa aproximar a polícia das escolas da cidade, envolvendo as três redes de ensino: estadual, municipal e privada.

A primeira a receber o projeto será a Escola Estadual Moisés Cândido Veloso, localizada no Bairro Hidráulica, em Lajeado. Conforme o escrivão de policia, que atua na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), Juliano Clavé, o trabalho vai abordar diversos temas de interesse da sociedade de acordo com a realidade de cada escola.


ouça a reportagem


 

Escrivão de policia, que atua na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), Juliano Clavé (Foto: Arquivo Pessoal)

“Nós sempre procuramos fazer um contato inicial com os professores, com a comunidade escolas e com os alunos e com as turmas para conhecermos a realidade de cada uma das escolas que vamos, e a partir da realidade, aplicar o nosso trabalho em conversas com a comunidade escolar sobre a demanda de cada estabelecimento de ensino”, relata. A ideia, conforme o policia, é atender todas as redes de ensino de Lajeado. “Esse trabalho é aberto para todas as escolas, para todas as redes dentro do município de Lajeado. O Núcleo de Polícia Comunitária é um convênio que temos por meio do Governo do Estado e prefeitura”.

Clavé também ressaltou a importância do poder executivo no apoio ao projeto. “A participação, da efetividade Prefeitura Municipal de Lajeado e da Secretaria de Segurança, por meio do secretário Paulo Locatelli, que propiciou dentro do Projeto Pacto Pela Paz a retomada desse trabalho”, conta. Trabalham no Núcleo de Polícia Comunitária seis policiais civis. “Todos capacitados para fazerem esse tipo de trabalho, todos profissionais voluntários com perfil próprio para atuarem nesse trabalho desenvolvido junto a comunidade. Nós temos na coordenação do grupo a delegada Márcia Bernini Colembergue”, relata.

Vice-diretora da Escola Estadual Moisés Cândido Veloso, Elsa Maria Rodrigues Pires (Foto: Divulgação)

O trabalho na Escola Moisés Cândido Veloso deve começar na próxima semana, ainda sem dia exato definido, pelos alunos dos anos finais do Ensino Fundamental. Conforme a vice-diretora da escola, Elsa Maria Rodrigues Pires, o projeto é considerado de grande importância para a comunidade local, visando somar cada vez mais os esforços para melhorar a educação e a formação nas escolas. “A nossa escola trabalha com alunos dos anos iniciais ao 9º ano do Ensino Fundamental, e as demandas que estão surgindo condizem com esse trabalho que a Polícia Comunitária realizada, então nos sentimos privilegiados no momento que a gente recebe esse grupo de profissionais”, pondera.


Ouça a participação da diretora


 

O policial citou também outros projetos realizados pelo núcleo, como empoderamento de mulheres que sofrem com a violência doméstica, atuando também de forma preventiva e fazendo o contato com o homem que se envolveu na situação. O projeto de aproximação com as escolas iniciou em 2018, mas por conta da pandemia não foi mais realizado, retomando as ações somente agora.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui