Polícia quer traçar perfil psicológico de assassino da creche de SC

A polícia quer saber com quem ele se comunicava, quais páginas costumava acessar na internet


0

A Polícia Civil de Santa Catarina quer traçar um perfil psicológico do assassino que matou três bebês e duas professoras na creche Pro-Infância Aquerela, em Saudades (SC), na terça-feira (4). A polícia quer saber com quem ele se comunicava, quais páginas costumava acessar na internet, e como comprou a arma usada no ataque – uma lança do tipo ninja.

O Ministério Público pediu a quebra do sigilo de dados do agressor de 18 anos. Segundo testemunhas, após invadir a creche e assassinar a professora, a auxiliar de classe e três bebês, o agressor tentou entrar em todas as salas, mas as outras professoras conseguiram trancar as portas. A Justiça aceitou o pedido do Ministério Público de Santa Catarina e determinou a prisão preventiva do assassino.

O MP argumentou que a prisão preventiva é necessária para garantir a ordem pública, o andamento do processo criminal e a aplicação da lei. O assassino está internado em, porque depois do ataque ele tentou tirar a própria vida. Mesmo ferido, ele foi preso em flagrante.

Fonte: R7

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui