Policial e agricultora detalha como concilia a vida na Brigada Militar com as atividades no campo

Angélica Dornelles é brigadiana desde 2006 e, nos momentos de folga, dirige uma propriedade no interior de Bom Retiro do Sul.


0
Foto: Tiago Silva

Como conciliar a carreira de soldado da Brigada Militar com a vida no campo, como agricultora? A policial Angélica Hermann Dornelles, de Bom Retiro do Sul, respondeu essa pergunta em entrevista no programa Papos de Mulher deste sábado (5). Soldado da BM desde 2006, ela trabalha, nos momentos de folga, em sua propriedade rural na localidade de Linha Pedreira, onde cria animais como gado, porcos e cavalos.


ouça a entrevista

 


Ela diz que ser policial era sonho de infância, apesar do temor da família por sua segurança. “Sempre foi um sonho desde criança. Sempre gostei de armas, de mexer em armas. Fiz concurso, consegui passar e ficar próxima da minha família e hoje atuo na minha cidade-natal”, detalha.

Soldado desde 2006, Angélica atuou em Fazenda Vilanova primeiro, antes de ser transferida para Bom Retiro do Sul. Nas duas cidades, ela foi a primeira mulher como policial militar.

Saia justa por ser mulher brigadiana? “Sim já houve, e tu tem que se dedicar muito mais pra tu adquirir teu espaço, para ti mostrar o quanto tu é capaz”, destaca.

“A agricultura, para mim, é um hobby. Adoro lidar com os animais, com a terra, dirigir trator”, explica. Angélica conta que o desafio é maior por ser mulher. “Tem que se doar mais”, admite, e lidar com a descrença das pessoas. Mas ela diz que sempre encontra um tempo, entre as carreiras na polícia e no campo, para se cuidar e valorizar a vaidade feminina.


Papos com quem sabe

O quadro “Papos com quem sabe” deste sábado (15) é com a nutricionista Mariane Halmenschlager. Ela fala sobre a dificuldade de controlar o doce. Entre as dicas: não faça dietas que excluam demais os carboidratos da dieta, coma alimentos que sejam doces no dia a dia, uma ótima opção são as frutas, e permita-se, mas com cuidado. Ouça as dicas!

 


Estilo, com Douglas Petry

Todo sábado, o consultor Douglas Petry traz um conteúdo especializado em moda, arte, decoração, estilo e bom gosto.

Nesta edição, ele aborda um elemento do look que pode passar batido ou se tornar protagonista: os acessórios, responsáveis por uma grande transformação em qualquer visual. Ouça!

 


Culinária Gaúcha – Mês Farroupilha

A culinária gaúcha é popular em todo o Brasil. Churrasco, Charque, Arroz carreteiro, Puchero, Vaca Atolada, Lombo de Porco à Moda do Sul, Bolo de carne alemão e Ambrosia são algumas das iguarias gaúchas que se estenderam a todo país. Sua principal origem vem das imigrações alemã e italiana que conquistaram a região.


ouça o quadro


A imigração alemã no início do séc. XIX mudou a cultura da região completamente. Os colonos trouxeram alimentos que até então não eram conhecidos no Brasil, como a batata.

Já a imigração Italiana veio na mesma época, final do séc. XIX. Os italianos se instalaram na serra e levaram para o Brasil receitas como polenta, massas, galeto. Também foram os itálicos que fizeram com que a cultura do vinho se propagasse no Rio Grande do Sul, pois tinham a técnica e uvas de qualidade. O vinho foi a principal fonte de renda dos colonos durante quase um século.

Podemos citar também a influência indígena com o chimarrão, bebida característica da nossa região. O chimarrão é herança das culturas indígenas guarani, caingangue, quíchua e aimará.

Fontes: portaleducacao.com.br e estadosecapitaisdobrasil.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui