Por dívida trabalhista, Estádio Alviazul irá a leilão

Jogador de Pedro Leopoldo (MG) que atuou pelo Lajeadense moveu ação trabalhista contra o clube e ganhou.


0
Foto: Sheid Leilões / Divulgação

Com menos de uma década de história, o Estádio Alviazul, do Lajeadense, poderá ir a leilão. O motivo é uma ação trabalhista movida pelo goleiro Reinaldo Leles de Oliveira Júnior, que atuou pelo Alviazul na parceria com o clube Pedro Leopoldo (MG), na Taça BH sub-20 em 2012, e posteriormente teria vindo a Lajeado.

A ação, da 2ª Vara do Trabalho de Pedro Leopoldo, teve origem no ano de 2014 e não cabe mais recurso. Como o Lajeadense não quitou o valor, Leles pediu a penhora do patrimônio do clube. Na última atualização processual, em 2018, o valor estava em R$ 143 mil.

O leilão online, publicado no site Sheid Leilões, está marcado para as 14h do dia 8 de julho (uma quarta-feira). A publicação informa “uma área de 51.163,75m², contendo um estádio de futebol, com arquibancadas, vestiários, escritórios e sala de ginástica, situado na ERS-130, Bairro Floresta, Lajeado”.

Assessor jurídico do Lajeadense, Henrique Ruschel (Foto: Reprodução)

O assessor jurídico do Lajeadense, Henrique Ruschel, cita que o que irá a leilão é o correspondente a metade da área do estádio. “São duas matrículas. A que vai a leilão é a metade da frente do Estádio Alviazul.” O lance inicial para arremate do estádio inaugurado em 2012 é de R$ 3,074 milhões, porém a avaliação do imóvel é de R$ 5,8 milhões, segundo o site da Sheid Leilões. Ruschel informa que o clube busca alternativas jurídicas para evitar a concorrência. Quando assumiu o cargo no clube, este processo já estava encerrado.

O Lajeadense possui cerca de R$ 800 mil de dívidas trabalhistas, as quais não cabe mais recurso, que envolvem outros jogadores, o ex-preparador físico, Guilherme Randon e o ex-gerente de futebol, Luis Fernando Hannecker.

Esses credores já solicitaram os seus pagamentos e, caso haja um vencedor do leilão, também poderão receber os seus valores. Conforme o advogado, o clube tem um “comitê de crise” para tentar gerenciar estas dívidas dentro das possibilidades.

O antigo estádio do Lajeadense, o Florestal, também foi colocado em leilão por dívidas trabalhistas, mas nunca chegou a receber ofertas. Posteriormente, acabou sendo vendido  para a construção da atual casa do clube.

Texto: Ricardo Sander
ricardosander@independente.com.br
Colaboração: Felipe Schmitt

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui