Por iniciativa própria, Teutoniense mantém sete estações meteorológicas em municípios da região

Frederico Wessel também já prestou auxílio para a instalação de outras 30 estruturas em sete estados brasileiros


0
Foto: Arquivo Pessoal

Desde 2007, o teutoniense Frederico Wessel monitora as condições climáticas em diversos municípios do Vale do Taquari. Ele mantém, por iniciativa própria, sete estações meteorológicas em Teutônia, Westfália e Poço das Antas. Além disso, Wessel também já prestou apoio para a instalação de outras 30 estruturas em sete estados brasileiros (Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul).

“Quando criança, sempre fui de olhar para o céu, observar as nuvens, principalmente quando alguma tempestade se aproximava. No inverno, quando ia para a escola, gostava de observar que somente em alguns pontos da cidade havia formação de geada. Esse interesse eu levava para as pesquisas na internet, lendo sobre ondas de frio do passado”, lembra.


ouça a reportagem 


 

Depois de interagir em alguns fóruns de meteorologia e climatologia na internet, o teutoniense decidiu monitorar a temperatura do município. De forma artesanal, instalou um termo-higrômetro no pátio de casa e passou a anotar os dados manualmente. “Quando eu saía de férias acabava perdendo os dados. Então comecei a pesquisar e em 2011 comprei minha primeira estação meteorológica automática”, conta.

Foto: Arquivo Pessoal

De imediato, Wessel passou a disponibilizar os dados em diferentes plataformas da internet. Em 2009 já havia criado um perfil no Twitter e, em 2011, disponibilizou o site Tempo em Teutônia. Posteriormente, ainda ampliou para o Facebook e o Instagram. As estações já instaladas medem temperatura, umidade relativa do ar, pressão atmosférica, velocidade e direção do vento, radiação solar e UV e sensor de relva (para monitorar a ocorrência de geada). Além disso, ele também tem câmeras de monitoramento meteorológico em cinco das estações.

“É uma brincadeira, então tem que cuidar para não gastar muito dinheiro com isso. Eu alimento as páginas de forma esporádica. Quando tem algum evento interessante, como na última semana, que foi registrada precipitação invernal, faço vídeos e posto. Nos dias seguintes a ocorrência de geada, também gosto de sair e fotografar. Esporadicamente divulgo as temperaturas mínimas e máximas, quando tem algum destaque na região”, afirma.

O teutoniense acredita já ter gastado cerca de R$ 10 mil desde que iniciou a ‘brincadeira’. Mas, segundo ele, a diferença no cambio do dólar da época para a cotação atual e o fato de ter ido até os Estados Unidos por três vezes para adquirir os equipamentos contribuíram para o baixo custo. “Hoje tudo está mais caro, os produtos todos subiram. Mas é possível fazer a instalação de uma estação amadora por R$ 500, que permite medir temperatura, umidade e pressão atmosférica com dados on-line. Já para a aquisição de uma estrutura profissional, o valor se aproxima dos R$ 5 mil”, calcula Wessel, lembrando que os sensores podem ser equipados posteriormente, de forma separada, nas estações.

Foto: Arquivo Pessoal

Desde que iniciou o acompanhamento, a menor temperatura já registrada em suas estações foi -3,3 ºC, no dia 12 de junho de 2016, junto a estrutura instalada na localidade de Linha Welp, no interior de Teutônia. Já a máxima, de 41,4 ºC, ocorreu no dia 27 de dezembro de 2019, no Bairro Languiru. Em relação as rajadas de vento, a mais forte até então foi de 148 km/h, no dia 17 de fevereiro de 2016, no Morro da Antena.

Além de um hobby, Frederico entende que este monitoramento mais próximo pode ter uma grande importância para diversos segmentos econômicos. No turismo, atraindo o público para os locais frios, e para o trabalho na agricultura. “O Vale do Taquari tem um grande potencial turístico, que com o auxílio de um bom monitoramento meteorológico, poderia auxiliar neste desenvolvimento. A Serra vende muito o turismo de frio, mas eu vejo aqui, pelas minhas estações, que na região é tão frio quanto lá. Nós temos a parte alta do Vale do Taquari também, que é uma área fria, mas não tem uma medição oficial. Só Ilópolis”, afirma.

Além do portal Tempo em Teutônia, Wessel agora também possui o site estacoesdobrasil.com.br, que reúne mais de mil estações meteorológicas, com dados de todo o Brasil. Na página é possível ordenar e filtrar as estações por estado, cidade, temperatura, chuva e rajadas de vento. “Por meio deste site eu tenho recebido o contato de muitos empreendimentos que querem atrair turistas e usar esses dados de temperatura, principalmente. São hotéis, pousadas e inclusive parques”,conclui.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui