Porta-voz do Kremlin diz que a Rússia não quer ocupar a Ucrânia, mas acabar com os nazistas

O governo russo, seguindo ordem do presidente Vladimir Putin, não classifica a invasão da Ucrânia como “guerra”


0
Foto: Divulgação

Em entrevista nesta terça-feira (22), o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, afirmou que os objetivos da Rússia seguem os mesmos desde o início da operação: desmilitarizar e neutralizar a Ucrânia, se livrar de batalhões neonazistas e o reconhecimento dos territórios independentes. “Ninguém tem raiva da Ucrânia nem dos ucranianos, apenas daqueles proíbem que se fale russo, dos que carregam símbolos nazistas nas ruas, dessas pessoas que querem a Otan ameaçando a Rússia”, afirmou Peskov.

Sobre as ameaças de Vladimir Putin usar armas nucleares, Peskov descartou, a princípio: “caso haja uma ameaça existencial à Rússia, então isso pode ser uma consequência, não há outras razoes mencionadas nesse texto.” O governo russo, seguindo ordem do presidente Vladimir Putin, não classifica a invasão da Ucrânia como “guerra”.

O termo utilizado por autoridades do país é o adotado desde o primeiro dia em que tropas russas cruzaram a fronteira: “operação militar especial”. Tanto na imprensa da Rússia, composta pela mídial estatal, quanto em manifestações oficiais, o termo “guerra” nunca é utilizado. Além disso, o Kremlin insiste na afirmação de que a Ucrânia sofre a ameaça de neonazistas e nacionalistas.

Durante reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas, o embaixador da Rússia, Vasily Nebenzya, afirmou que grupos nazistas atiram propositalmente em ucranianos que tentam fugir do país.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui