“Precisamos de novas lideranças”, afirma senador Lasier Martins, em palestra na Acil

Congressista criticou STF, declarou apoio a Sérgio Moro e confirmou candidatura à reeleição


2
Senador Lasier Martins em palestra na Acil em Lajeado (Foto: Luís Fernando Wagner)

O Salão de Eventos da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) sediou um café da manhã com palestra do senador Lasier Martins (Podemos), nesta terça-feira (21). Na presença de lideranças regionais dos âmbitos político, empresarial e comunitário, o congressista discorreu sobre “A Atual Crise na Política Brasileira” e respondeu questões dos participantes.

“É sempre um prazer visitar esta região, que eu chamo de o novo Vale do Silício (fazendo analogia ao estado da Califórnia, nos Estados Unidos, onde situam-se algumas das maiores empresas do mundo na produção tecnológica). O Rio Grande do Sul e o Brasil devem muito ao Vale do Taquari”, comentou.

Sobre o cenário político nacional, Martins ponderou que a crise institucional está relacionada à falta de novas lideranças. “Vivemos um momento conturbado e cheio de contradições. Nossa política vai mal por falta de nova lideranças, que tenham coragem de mudar aquilo que está errado. Precisamos mudar as peças.”

O senador ilustrou sua explanação, citando dois episódios recentes: a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional 023/21, a chamada PEC dos Precatórios, que garantiu a abertura de um espaço fiscal no valor de R$ 106,1 bilhões, para aumentar os gastos no ano de 2022. Por outro lado, a medida deve afetar empresas que aguardam há anos a devolução de tributos federais pagos a maior indevidamente, e demais credores. “A PEC dos Precatórios é um verdadeiro golpe nos credores que conquistaram seus direitos na justiça, e gora, sabe se lá quando vão poder receber aquilo que lhes é devido pelo governo”, lamentou.

Lasier Martins ainda lembrou da discussão sobre o fundo eleitoral, verba pública para financiar campanhas políticas nas eleições de 2022. “Votei contra a tentativa de liberar R$ 5,7 bilhões para campanhas políticas, mas foi aprovado pelo Congresso. Posteriormente, este projeto foi vetado pelo presidente Bolsonaro. É um recurso que se desvia do interesse dos brasileiros para servira a interesses políticos.”

O senador também lamentou a gradual redução da capacidade de investimento do governo federal. “ Em 2012, o orçamento previa R$ 200 bilhões. Em 2016, reduziu para R$ 63 bilhões; 2020, R$ 48 bilhões e, neste ano, apenas R$ 44 bilhões. Isso implica em menos investimento em educação, saúde e infraestrutura. Claro que teve a pandemia, onde foi necessário destinar recursos para auxiliar os mais vulneráveis, mas também teve desvios. Precisamos acabar com o ‘toma lá, da cá’”, alertou.

Jornalista e advogado de formação, Lasier abordou a atual crise política brasileira na palestra (Foto: Luís Fernando Wagner)

Executivo x STF

O parlamentar defende mudanças na escolha dos membros do Supremo Tribunal Federal (STF), a fim de melhorar a dinâmica administrativa. “Dos 11 ministros do STF, sete foram indicados pelos governos do PT (Partidos dos Trabalhadores). Ora, não é surpresa que suas decisões sejam pautadas por questões partidárias, que não atendem o notório saber jurídico e sim o interesse partidário. Por isso, criei a PEC 035, que proíbe a escolha dos magistrados de acordo com a conveniência dos presidentes da República.”

Apoio a Sérgio Moro e reeleição

Para as eleições majoritárias de 2022, Lasier Martins reafirmou apoio ao pré-candidato a presidência Sérgio Moro (Podemos) e admitiu que pretende tentar e reeleição no Senado. “Vivemos um clima de polarização. De um lado temos a possibilidade de um ladrão (ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , do PT) voltar ao poder, e trazer junto todos os seus asseclas. Do outro lado, a opção é um presidente, no qual votei em 2018, que vai tentar a reeleição, mas que infelizmente demonstra incompetência e deixou de cumprir várias promessas, como a privatização de 50 estatais, das quais apenas uma foi efetivamente entregue à iniciativa privada, além de não fazer as reformas tão necessárias. Por isso apoiamos Sérgio Moro, que está vindo dos Estados Unidos, onde foi buscar sua família, e assim que chegar no Brasil, deve começar a sua campanha. Precisamos de uma terceira via, com capacidade de se tornar uma segunda via no segundo turno das eleições. Por outro lado, sim, pretendo concorrer a reeleição no senado no ano que vem”, concluiu.

“Senador de Lajeado”

Ao falar de sua relação com o Vale do Taquari, Lasier Martins se define um representante local. “Sou um senador de Lajeado. Aqui no município fui o senador mais votado, onde fiz 44% dos votos. Minha história com Lajeado começa em 1959, quando passei 20 dias aqui, hospedado no alojamento do colégio Marista São José, para participar dos jogos escolares. Foram muitas participações, ao longo de minha carreira, na programação da Rádio Independente, e na cobertura de grandes eventos, como a Expovale”, recordou.

Lasier Martins

Lasier Costa Martins (79) é natural de General Câmara. O advogado e jornalista se elegeu senador em 2014, pelo PDT. Entre 2017 e 2019, foi filiado ao PSD, de onde saiu para integrar as fileiras do recém criado Podemos.

Texto: Luís Fernando Wagner

2 Comentários

  1. Ah, precisa mesmo de novas lideranças. A começar a transição pelo senhor senador Lasier Martins que já está caindo de maduro no mundo da velha política. Meu voto jamais terá.

  2. E outro: bolsonarista arrependido não muda nada. Troca só a figura, mas o conteúdo é o mesmo. Fala em renovar a política sendo postulante à reeleição? Volta para o Jornal do Almoço, querido. E vai apoiar o ex-juíz e sempre político, Sérgio Moro! Me poupe. O golpe taí, cai quem quer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui