Prefeito de Muçum detalha avanços e desafios após quatro meses da catástrofe que atingiu o Vale do Taquari

Cerca de 230 casas ficaram completamente destruídas após passagem de enchente no município


0
Mateus Trojan (Foto: Fernanda Kochhann / Arquivo)

Em entrevista ao Panorama desta quinta-feira (4), o prefeito de Muçum, Mateus Trojan, compartilhou informações sobre os avanços e desafios enfrentados pelo município nos quatro meses que se seguiram à devastadora enchente que atingiu o Vale do Taquari em setembro de 2023.

Na noite da tragédia, Trojan e o coordenador da Defesa Civil do município estavam em Brasília buscando recursos para mitigar os prejuízos causados por um temporal de granizo ocorrido em agosto de 2023. Na oportunidade, era o vice-prefeito, Amarildo Baldasso, que conduzia os trabalhos e a quem Trojan agradeceu pela dedicação neste período difícil.

A enchente deixou um rastro de destruição, levando 200 casas na área urbana e 30 na área rural. Considerando moradias e irregulares e áreas alagadiças, a demanda habitacional total chega a 350 residências, um número significativo para Muçum, que possui um total de 2.200 residências. Algumas famílias ainda permanecem fora de suas casas, mas, segundo Trojan, o município providenciou aluguel social enquanto desenvolve projetos de moradia definitiva, optando por não aderir a casas provisórias.

O Governo do Estado desapropriou e doou uma área de 25 mil m² no centro de Muçum para a construção de pelo menos 100 habitações, visando atender parte da demanda habitacional. Programas federais, como o da Defesa Civil ou o Minha Casa, Minha Vida – Calamidades, oferecem possibilidades de financiamento para as famílias afetadas.

Ponte causa preocupação

A reconstrução da ponte Brochado da Rocha é uma das prioridades para o município. O prefeito destacou o comprometimento do estado e do governo federal no processo. O projeto foi entregue em 30 dias pelo estado, a aprovação do recurso ocorreu em dezembro pelo governo federal e a licitação está em andamento, com o objetivo de iniciar a obra em fevereiro.

Reconstrução do cemitério

A situação do cemitério, afetado pelas enchentes, é descrita como triste e complicada por Trojan. O Exército realizou intervenções iniciais, mas a segunda enchente, em novembro de 2023, agravou a situação, levando muitas lajes e expondo restos mortais. A reconstrução do cemitério deve envolver a busca por uma nova área de terras.

Prevenção

Quanto à prevenção, o prefeito destaca a necessidade de evolução nos planos de contingenciamento municipais e políticas internas, além da importância de informar claramente às pessoas sobre as cotas de inundação. Questões regionais e estaduais também devem ser abordadas, considerando a extensão da bacia Taquari-Antas.

Retorno à normalidade

No setor empresarial, parcerias com o Sebrae e auxílios financeiros foram implementados para ajudar micro e pequenos empreendedores locais a se restabelecerem. Já as grandes empresas tiveram a possibilidade de acionar linhas de crédito para se restabelecerem.

Para 2024, o prefeito expressa a esperança de que a autoestima da comunidade seja restaurada, vislumbrando um retorno à normalidade em Muçum.

Texto: Fernanda Kochhann
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui