Prefeitos do Vale do Taquari acatam suspensão da cogestão

Gestores municipais entendem, porém, que o problema não está na atuação dos setores econômicos e escolas, mas sim nas aglomerações.


1
Paulo Kohlrausch (Foto: Tiago Silva / Arquivo)

Diante do agravamento da situação do coronavírus no Vale do Taquari, sobretudo o significativo aumento no número de casos confirmados e a superlotação das instituições de saúde, os prefeitos que integram a Amvat definiram de forma unânime, em assembleia virtual realizada na tarde desta quinta-feira (25), que vão acatar a determinação do Governo do Estado de suspender o modelo de cogestão e adotar os protocolos de bandeira preta no período entre 27 de fevereiro e 7 de março.

Embora entenda que o problema não esteja na atuação dos setores econômicos nem nas escolas, mas sim nas aglomerações e eventos clandestinos, a Amvat está ciente do momento caótico vivenciado em nível regional e estadual e percebe a importância da colaboração de todos para enfrentar a situação atual.

Além disso, os prefeitos decidiram intensificar ainda mais a fiscalização em seus municípios, com o apoio das forças de segurança, principalmente nos períodos da noite e fins de semana, quando ocorre a maior parte das aglomerações e descumprimentos das medidas de prevenção.

Da mesma forma, a Amvat solicitou ao Governo do Estado a inclusão dos profissionais da educação nos grupos prioritários de vacinação contra a Covid-19, além de uma maior agilidade no processo de vacinação, inclusive colocando a entidade à disposição do Estado em caso de necessidade de compra de vacinas. AI/RC

1 comentário

  1. Tem que vacinar os idosos sim , hoje uma pergunta eles podem ficar em casa se cuidando eu acho que seria mais importante agora vacinar os profissionais que trabalham escolas onde estamos sendo expostos a todo momento .

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui