Prefeitura de Encantado planeja sistema local de monitoramento das chuvas e enchentes do Rio Taquari e seus afluentes

A ideia, apresentada pelo prefeito Jonas Calvi, ganha força a partir de projeções, previsões e informações divulgadas pelo Governo do Estado que não se confirmaram


0

A Prefeitura de Encantado está trabalhando na formatação e estruturação de um Centro de Resiliência Climática para que a cidade tenha informações mais próximas da sua realidade, de modo a basear as suas respostas às enchentes do Rio Taquari e de seus afluentes. Conforme o andamento das discussões, esse centro de monitoramento poderia ser estendido e abraçar informações dos municípios da região alta e baixa do Vale do Taquari.

A ideia, apresentada pelo prefeito Jonas Calvi em entrevista à Rádio Independente, ganha força a partir de projeções, previsões e informações divulgadas pelo Governo do Estado que não se confirmaram, como grandes volumes de chuvas e cota esperada de 28 metros no repique da cheia no meio desta semana. O dado foi divulgado pela Defesa Civil do Estado nessa segunda-feira (17). Porém, não se materializou na prática. O Taquari, após atingir 24,15 metros no Porto de Estrela às 22h45 dessa segunda, está em trajetória de baixa nesta terça-feira.

“Não choveu o que se esperava, graças a Deus, mas nós estamos numa situação muito complicada, numa vulnerabilidade muito grande porque a gente não tem as pessoas técnicas capacitadas para fazer essas leituras nos nossos municípios, e a gente vai repassando as informações que vêm da Defesa Civil do Estado, da Sala de Situação”, relata o prefeito na tarde desta terça-feira.

De acordo com ele, a comunidade foi dormir com a informação de grandes volumes de precipitações no Vale do Taquari e nas cabeceiras da bacia. Porém, o dia seguinte amanheceu com sol forte. “Não aconteceu tudo isso”, constata, ao destacar o sentimento de angústia e descrédito que projeções equivocadas causam.

Calvi reforça que esse fato impulsiona o município a pensar num sistema de monitoramento mais localizado. Já há conversas com o Governo do Estado para concretizar o projeto. O Centro de Resiliência contaria com dados de órgãos governamentais do Estado e da União, além dos regionais do Rio Taquari, do Rio Guaporé e de arroios como o Jacaré e o Jacarezinho, em Encantado.

“Em conversa com o chefe da Casa Civil, colocamos a nossa intenção de fazer um Centro de Resiliência Climática que pudesse contemplar a região alta”, Calvi explica. “Nós temos a disponibilidade daquele prédio da Univates (em Encantado). Ali, o nosso objetivo inicial é fazer um Centro de Tecnologia e Inovação, e agora, com toda essa situação, nós estamos incluindo essa parte de meio ambiente e resiliência climática”, ressalta.

“Nós aqui em Encantado estamos nos organizando para que a gente possa ter uma sala de resiliência climática, algo permanente para que a gente possa ter uma estrutura para pegar os dados de governo, tanto federal como estadual, e pegar os nossos levantamentos, as curvas de nível, os volumes do Guaporé, do Jacaré, do Jacarezinho e fazer as nossas simulações”, detalha o prefeito.

Segundo Calvi, “a gente não precisa ter algo preciso, questão de 2 a 3 horas, mas nós precisamos ter com uma antecedência maior”. “A gente vai fazer esse plano e também vamos apresentar para outros municípios, se tem mais municípios que querem trabalhar junto, tanto na Amat (Associação dos Municípios do Alto Taquari) como na Amvat (Associação dos Municípios do Vale do Taquari)”, adianta.

O prefeito diz que a intenção é ter um panorama completo dos profissionais que devem fazer parte, bem como equipamentos necessários e valores a serem investidos. Calvi observa a necessidade de um sistema com sensores e réguas, inteligência artificial para qualificar as projeções, e a participação de meteorologistas, hidrólogos, engenheiros, geólogos e topógrafos

Esse planejamento já estava ocorrendo em Encantado, “mas agora temos que dar outro salto, tendo em vista o que aconteceu de ontem para hoje”, pontua. Não é algo simples, reconhece, sobre a complexidade da concretização do sistema.

Texto: Tiago Silva
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui