Prefeitura de Lajeado deve manter restrições na próxima semana para consolidar segurança da volta às aulas

Prefeito Marcelo Caumo aguarda flexibilizações de novo modelo de distanciamento controlado, mas diz que tendência é manter cautela para garantir a possibilidade das aulas presenciais


0
Foto: Tiago Silva

O Governo do Rio Grande do Sul deve anunciar nesta sexta-feira (14) como será o novo modelo de gestão da pandemia. O governo do Estado não vai mais definir de antemão todos os protocolos para todas as atividades econômicas e sociais. Dessa forma, serão inalteráveis apenas as regras mais básicas, como uso de máscara e distanciamento social.

A ideia é reduzir pela metade os cerca de 130 protocolos específicos por atividade que ainda estão vigentes. O novo sistema também aposentará a classificação de risco por bandeiras. A nova forma de comunicar a piora de cenário será por meio de avisos e alertas. Se depois dos alertas, os prefeitos não adotarem medidas adequadas, o Estado retomará o controle sanitário da região.

Na prática, com as alterações, os prefeitos terão mais autonomia. O mapa de distanciamento controlado será extinto, dando lugar a uma série de protocolos para tentar diminuir o contágio sem limitar o setor produtivo. A partir deste domingo (16), o Piratini não irá mais vetar o funcionamento de empresas, restringir horários ou proibir atividades.

Caberá aos municípios ditar as regras, a partir de acordos regionais. Em Lajeado, o prefeito Marcelo Caumo adota cautela. Antes da divulgação do novo sistema de distanciamento, ele disse que “a tendência para a próxima semana é que a gente mantenha as liberações e, principalmente, as limitações que temos observados nesta semana que se encerra”.

“Nós, num primeiro momento, manteremos as regras dessa semana mais uma semana. Por quê? Porque é fundamental nós consolidarmos o processo de retomada das aulas. Os números são bons. Nós não temos tido um reflexo de casos, nem nas escolas nem nos profissionais de educação, até o momento. Mas ainda é um período curto. São apenas duas semanas, cerca de 14 dias, e é fundamental que a gente consolide ainda mais essa estratégia de retomada das aulas para avançarmos nas demais situações todas”, pondera.


ouça a entrevista


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui