Prefeitura de Lajeado emite alerta para reduzir consumo de água

Não há, em princípio, risco imediato de falta de água na rede da Corsan porque, em Lajeado, o nível do Taquari está normal


0
Foto: Divulgação

A Prefeitura de Lajeado está fazendo um alerta aos moradores do município: em razão da estiagem que atinge todo o Estado, é importante a colaboração da população para evitar o consumo desnecessário de água. Desta forma, com a economia gerada, será possível evitar o racionamento de água na cidade, especialmente na região que é atendida pelas redes de água municipal e comunitárias porque são abastecidas por poços artesianos. Apesar da chuva dos últimos dias, com o aumento do consumo nestes locais, os poços não conseguem dar a vazão necessária para o atendimento, e eventualmente poderá haver faltas pontuais de água.

O município de Lajeado é abastecido basicamente de quatro formas: pela rede da Corsan (que capta água do Rio Taquari ou de poços e distribui em sua rede de atendimento, seja de residências ou empresas), a rede municipal (que retira água de 12 poços artesianos e distribui para 3.852 pontos), as chamadas sociedades de água (que retiram a água de poços artesianos e distribuem para pontos particulares) e os poços individuais.

Segundo informações repassadas pela Corsan à prefeitura na última semana de dezembro, não há, em princípio, risco imediato de falta de água na sua rede porque, em Lajeado, o nível do Taquari está normal, então a captação de água não sofreu alterações. Ainda assim, as orientações para o consumo consciente da água também são válidas para quem usa esta água, já que a situação de estiagem atinge toda a região.

Por outro lado, as redes abastecidas por poços artesianos enfrentam maiores dificuldades porque os poços, em razão do aumento do consumo de água pelas famílias, não conseguem produzir a quantidade de água necessária para atender a rede. Além disso, em regiões mais altas, o problema é ainda maior, já que a rede chega com menos pressão, prejudicando o abastecimento.

“Por isso estamos pedindo a colaboração da população para que reduza o consumo de água naquilo que não é absolutamente necessário. Não é hora de lavar carro, lavar a casa com mangueira ou limpar a calçada com água. Isso pode ficar para depois, quando o calor reduzir e o consumo for normalizado. Agora é hora de ficar alerta para que ninguém fique sem água”, explica o secretário interino de Obras e Serviços Públicos, Círio Schneider.

Assim, o uso de água deve ficar restrito aos fins mais relevantes, que são o uso doméstico (exceto limpeza de áreas externas), uso para higiene e para dar de beber aos animais. A água das redes não deve ser usada para piscinas, limpezas externas (pátios, carros, calçadas, etc.) ou mesmo para molhar a grama ou plantações. Neste momento, estas são apenas orientações do município, sem haver ainda decreto publicado ou punição prevista.

“Apostamos no bom senso da nossa comunidade para que possamos todos juntos enfrentar esta época de calor e falta de chuva da melhor forma, sem que ninguém seja prejudicado”, disse Círio.

Onde usar a água

– Consumo pessoal e de animais
– Alimentação humana e animal
– Higiene
– Uso doméstico

Onde não usar a água

– Lavar pátio
– Lavar carro
– Banho demorado
– Trocar água da piscina
– Varrer calçada
– Molhar a grama
– Plantações
– Em torneira aberta sem uso. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui