Prefeitura de Lajeado realiza audiência pública para tratar da operação do aterro sanitário

Expectativa é que a gestão seja terceirizada até o final de 2022


0
Audiência ocorreu no Salão de Eventos da Prefeitura (Foto: Artur Dullius)

O município de Lajeado realizou uma audiência pública durante a manhã desta segunda-feira (16), no Salão de Eventos da Prefeitura. A atividade tratou sobre a concessão da implantação, execução e operacionalização da central de tratamento de resíduos sólidos, o aterro sanitário. A sessão, além de ser aberta ao público, também contou com transmissão ao vivo. Conforme o secretário de Meio Ambiente, Luiz Benoit, a ideia de terceirizar a gestão do aterro surgiu ainda em 2017.


ouça a reportagem

 


A audiência, de acordo com Benoit, faz parte de um processo legal para que seja possível realizar o lançamento do edital. Atualmente, o município tem um elevado custo de operação para gerenciar as 65 toneladas de lixo que chegam ao local diariamente.

“São mais de R$ 3 milhões que gastamos por ano para fazermos a gestão do portão para dentro, ou seja, sem a coleta. Mesmo assim, não temos um resultado ambientalmente positivo. Então, queremos tentar baixar este custo e possibilitar também a produção de alguns recursos que irão dar um retorno financeiro para o município”, explica.

Além disso, a empresa contratada também deverá implementar tecnologias para reduzir a quantidade de resíduos, que hoje são encaminhados para o aterro. O secretário estima que a atual célula do aterro sanitário de Lajeado tenha uma vida útil de aproximadamente sete meses ainda. Inicialmente, a construção de um novo espaço já está sob responsabilidade da administração pública. O município já adquiriu, em 2017, uma área de 2,5 hectares para essa ampliação.

Audiência ocorreu no Salão de Eventos da Prefeitura (Foto: Artur Dullius)

“Como não sabemos quanto tempo pode levar o processo de licitação, nós estamos encaminhando todo o licenciamento. A ideia é trabalhar com células menores no município para que, quando ocorreram essas grandes precipitações de chuva, a gente não ter um aumento do volume no tratamento de chorume. Então vamos encaminhar por nossa conta mas, se o processo for concluído antes, a empresa ganhadora irá assumir”, pontua.

Agora, o termo da audiência pública será encaminhado para a avaliação do Tribunal de Contas. Na sequência, segundo Benoit, deverá ser iniciado o processo licitatório. “A ideia é que nos próximos 30 dias esta licitação já possa estar na rua. O nosso sonho é, até dezembro, estar com tudo pronto e a empresa escolhida”, conclui.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui