Prejuízo da estiagem em Vespasiano Corrêa já ultrapassa os R$ 21 milhões

Principal perda está nas lavouras de milho, onde a quebra alcança os 40%


0

A soma das perdas já contabilizadas na agricultura e pecuária de leite motivaram o prefeito municipal de Vespasiano Corrêa, Tiago Manoel Ferreira Michelon, a decretar situação de emergência por conta da estiagem. O relatório que foi elaborado pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento, em parceria com a Emater/RS – Ascar, revela que até o momento, a estimativa de prejuízo ultrapassa a soma dos R$ 21 milhões. O município aguarda agora a homologação do decreto por parte do governo gaúcho.

“O decreto foi assinado no dia 22 de dezembro. Neste momento, estamos elaborando todos os relatórios das secretarias de Agricultura e Abastecimento e da Saúde, Meio Ambiente e Ação Social, para encaminharmos tudo ao governo do estado”, explica o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento de Vespasiano Corrêa, Daniel Gavineski. De acordo com ele, o procedimento completo – com a resposta do governo do Rio Grande do Sul – é esperado para até 15 dias.

As maiores perdas, segundo o relatório da agricultura, estão nas lavouras de milho em grão. Cerca de 40% da safra já foi perdida com a escassez de chuva em Vespasiano Corrêa. “Nos últimos dias, foi registrada uma precipitação de 20 milímetros, porém esta chuva foi muito irregular e em alguns locais, o total acumulado não foi maior que 7 ou 8 milímetros”, diz Gavineski.

Seguindo o milho em grão vem a soja, com 30% de perdas. As lavouras de tabaco também registram uma quebra de 20% na produtividade, causada principalmente pela falta de umidade no solo, que associado ao calor excessivo do sol prejudicam a planta que está na fase de colheita, todas consideradas culturas de verão. Nos ervais as perdas estão na casa de 10% e na agricultura de subsistência – plantio de amendoim, batata-doce, batata inglesa, cebola, feijão preto e morango – os prejuízos estão na casa dos 40%. A soma estimada é de R$ 5,8 milhões.

Na pecuária, os principais prejuízos estão concentrados na produção do leite. A estimativa de perda é de 3,5 milhões de litros de leite, o que representa uma redução de 15% na produtividade das famílias. “Já o milho para silagem registrou uma queda de 16,8 mil toneladas na produtividade. Isso representa uma perda de 40% e um prejuízo financeiro de R$ 8,4 milhões. O total de perdas na pecuária é de R$ 15,2 milhões”, destaca o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento.

Na espera do estado

A Defesa Civil do Rio Grande do Sul tem agora 15 dias para finalizar a análise da documentação encaminhada pelo município de Vespasiano Corrêa para, então, confirmar o decreto de situação de emergência. Até o momento, 48 municípios gaúchos tiveram seus decretos de emergência por conta da estiagem homologados pelo governo do estado.

A homologação permite aos municípios que eles tenham acesso a uma série de benefícios como repasse de recursos, auxílio em obras emergenciais e outros benefícios relacionados à ajuda humanitária. AI/VM


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui