Prejuízos com a estiagem chegam a R$ 30 milhões em Estrela

"O agro é um dos principais motores da economia do município", afirma o secretário da área, ao lamentar as perdas nas lavouras de milho, soja, silagem e na produção de leite


0
Secretário de Agricultura de Estrela, Douglas Sulzbach (Foto: Tiago Silva)

A Prefeitura de Estrela decretou situação de emergência por conta estiagem no município. Além dele, outros 11 do Vale do Taquari editaram decretos recentemente na mesma linha. Um levantamento elaborado pela Secretaria de Agricultura de Estrela, em parceria com a Emater/RS-Ascar, aponta que os prejuízos com a estiagem chegam a cerca de R$ 30 milhões. As perdas concentram-se principalmente nas lavouras de milho, soja, silagem e na produção de leite.

O decreto foi encaminhado para o Governo do RS e para Brasília. A ideia é conseguir protocolar o pedido em até 15 dias, que é o tempo necessário para análise da documentação apresentada e homologação por parte do Estado e União.

Conforme o secretário de Agricultura, Douglas Sulzbach, a cultura mais atingida é o milho (R$ 5,18 milhões), tanto para silagem (R$ 17,5 milhões) quanto para o grão. As perdas contabilizadas dão conta que 50% da safra desta cultura já foram perdidas. Já a produção de soja foi impactada em 26,5%, com perdas chegando a R$ 2,3 milhões. E o gado leiteiro sofreu uma redução de 15% na produtividade, com impacto de R$ 1,7 milhão, motivado por conta da redução de pasto e silagem.

“O agro é um dos principais motores da economia do município”, afirma o secretário. De acordo com ele, muitos produtores estão segurando a plantação de soja até que o nível de chuvas melhore para evitar perdas ainda maiores. “O custo de uma lavoura não está nada barato”, diz ele. Apesar da estiagem, ainda não foi necessária a utilização de caminhões-pipa para abastecer as comunidades.

Sulzbach lamenta também os reflexos na bacia leiteira. Ele lembra que Estrela é um dos maiores produtores do Vale do Taquari e está no top 10 do Rio Grande do Sul. Na piscicultura também é observado baixa no nível dos açudes com a falta de chuvas.

O secretário explica que a edição do decreto busca capacitar o município para agir de forma mais eficiente, com uma assistência mais ágil aos produtores. Conforme ele, Estrela debate formas de prevenir as perdas na agricultura em função da estiagem, com abertura de reservatórios e cisternas, a reserva de água e a implementação de irrigação.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui