Presidente do Equador reduz preços dos combustíveis, mas não agrada indígenas

Confira as informações do programa Correspondente Independente do meio-dia


0

O presidente do Equador, Guillermo Lasso, reduziu o preço dos combustíveis, o que deu origem aos protestos indígenas, mas sem satisfazer os manifestantes, que nesta segunda-feira completam 15 dias de bloqueios de estradas no país, o que deixou a produção de petróleo em uma situação crítica. “Esta decisão é insuficiente, é insensível”, expressou a poderosa Confederação das Nacionalidades Indígenas do Equador (Conaie), depois que Lasso anunciou no domingo à noite uma redução de 10 centavos de dólar, que deixa o diesel em 1,80 dólar e a gasolina em 2,45. Os manifestantes exigem ao governo que reduza os preços a 1,50 dólar para o galão de diesel e 2,10 dólares para o de gasolina comum. Correio do Povo

Mourão diz que CPI do MEC “não vai pra frente”: “Todo mundo pensando em eleição”

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, declarou nesta segunda-feira que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar suspeita de corrupção e tráfico de influência dentro do Ministério da Educação (MEC) não deve andar. Para ele, a proximidade da eleição, que ocorre em outubro, é o principal fator para que a comissão não progrida.“Acho complicado porque está todo mundo pensando em eleição. Mais aí três meses e tem a eleição. Então acho que falta tempo pra isso aí progredir. Acho também que não vai pra frente”, disse o vice. Correio do Povo

Pacheco diz que TSE é ‘eficiente’ e que desconfiança sobre o tribunal não tem ‘justa causa’

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), afirmou nesta segunda-feira (27) que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) não pode ser colocado sob suspeita sem justa causa. O tribunal, e as urnas eletrônicas, vêm sendo atacados e colocados sob suspeita pelo presidente Jair Bolsonaro e aliados dele. Pacheco, entretanto, não citou o presidente. “Teremos eleições este ano, as eleições acontecerão no sistema eletrônico de votação, sob a guarda do eficiente TSE, que é uma Justiça especializada que custa à sociedade brasileira e não pode ser desprezada simplesmente sob uma desconfiança absolutamente sem justa causa”, afirmou Pacheco durante abertura do Fórum Jurídico de Lisboa. g1

Mesmo com pagamento do vale-gás, venda do botijão recuou 9,5% no RS

O Auxílio Gás dos Brasileiros, benefício distribuído pelo governo federal, não foi capaz de impedir a queda na venda de gás de cozinha. De acordo com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), houve uma queda nacional de 5,6% nas vendas de botijões de gás nos primeiros quatro meses de 2022, em comparação com o mesmo período no ano anterior. Já no Rio Grande do Sul (RS), a variação é ainda mais marcante: -9,5%. O Estado teve a segunda maior queda nas vendas de botijões, perdendo apenas para Minas Gerais – que tem queda acumulada de 10,3%. correio do povo

Mapa apreende 39,8 mil quilos de amendoim no período de festas juninas no Rio Grande do Sul

A operação Arachis, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), fiscalizou em todo o Brasil, durante as festas juninas, 458 toneladas do alimento, aprendendo 52,2 mil quilos do grão utilizados na preparação de doces vendidos no período. Somente no Rio Grande do Sul, foram  fiscalizados 122,9 mil quilos de amendoim, dos quais 39,8 mil quilos foram recolhidos por apresentarem contaminação por aflatoxina, irregularidades no beneficiamento e ausência de garantia de qualidade para o consumo. Correio do Povo


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui