PRF pede instalação de divisor físico na BR-386, em Lajeado

Estudo aponta que muretas ou proteções metálicas seriam as alternativas para evitar que veículos invadam pista contrária em casos de acidentes


1
Foto: Cícero Copello

Em entrevista ao programa Operação Conjunta da Rádio Independente, nesta quinta-feira (16), o inspetor-chefe da 4ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal (PRF), com sede em Lajeado, Paulo Reni da Silva, informou que esteve reunido com representantes da CCR Viasul para discutir sobre melhorias para a segurança dos usuários da BR-386.

O assunto principal foi a instalação de muretas ou proteções metálicas nos canteiros que dividem os sentidos da estrada, em especial nas proximidades do Shopping Lajeado. No encontro, a PRF reivindicou a proteção.

É comum veículos se envolverem em acidentes e haver saída de pista em direção ao canteiro central e, consecutivamente, à pista contrária, o que pode ocasionar um acidente de grandes proporções. Como foi no dia 2 de setembro, quando um homem morreu e sua esposa ficou ferida, vindo a falecer 12 dias depois em função dos ferimentos ocasionados pela colisão entre carro e duas carretas.

“Este ponto é alvo de estudo que foi encaminhado à concessionária para que haja providências. O representante da CCR Viasul se comprometeu em instalar um divisor físico, seja ele defesa metálica ou barreiras de concreto. E em todos os locais onde o canteiro central seja estreito demais, será instalado também”, afirma o inspetor-chefe da PRF.

Paulo Reni da Silva comenta ainda que não há uma data prevista para a instalação dos divisores, pois envolve recursos financeiros por parte da CCR Viasul. O inspetor lembra que a PRF está atenta aos problemas da rodovia e que a duplicação no trecho entre Marques de Souza e Lajeado vai contribuir para o melhor funcionamento da estrada.

Chefe da 4ª Delegacia da PRF, com sede em Lajeado, Paulo Reni (Foto: Gabriela Hautrive)

“A duplicação já é um caminho. Lajeado é uma cidade que se desenvolve bastante e tem novos caminhos alternativos, mas não pode parar por aí. A gente não pode é aceitar que a situação ruim se mantenha por muito tempo”, afirma.

O inspetor-chefe da 4ª Delegacia da PRF diz que “a BR-386 tem sua importância econômica e está saturada na quantidade de veículos”.

“Quem transita por ela em Lajeado sabe a tranqueira que é. Há dificuldade de deslocamento, o tempo que a gente demora. Isso tudo causa uma insatisfação no usuário”. Ele reitera que o trabalho é difícil, porém, a Polícia Rodoviária Federal busca atender as demandas visando a segurança dos usuários da rodovia. CC

1 comentário

  1. O que deteria um veiculo pesado de se projetar para a outra pista? Uma defensa metálica ou uma muretinha de concreto? Informar que o ponto é “alvo de estudos” sem divulgar a metodologia utilizada, quem realizou e seus resultados com impactos positivos e/ou negativos me parece mera narrativa. E consultar a população também evitaria protestos a exemplo do que aconteceu em Estrela.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui