Privacidade diante da doença 

Não é ético escancarar a intimidade de outra pessoa por conta da sua necessidade de se expor nas redes sociais.


0

Estava olhando publicações do Instagram quando apareceu uma postagem de uma atriz famosa. Na hora, senti uma mistura de repulsa com curiosidade. Antes de ler o texto que acompanhava a foto, não tinha entendido o que era, mas dava para ver que havia manchas de sangue na cena. A atriz estava postando a imagem dos seus dentes de siso, recém extraídos, ainda enrolados num guardanapo de papel, o que dava a impressão de que fez a postagem quando ainda estava sentada na cadeira do dentista. Não sei se é porque tenho péssimas lembranças referente à extração de dentes, mas o fato é que preferia ter sido poupada dessa imagem desagradável. A autora da postagem parece ter tido a intenção de compartilhar com seus seguidores os incômodos que teve com seus dentes de siso, visivelmente grandes. Contudo, poderia ter escrito sem postar a foto da cena nua e crua, como se diz. Aliás, essa é uma prática bastante comum nas redes sociais. Postamos imagens do nosso corpo, sem dó e nem piedade com a própria carne. Caiu, esfolou a perna, levou pontos. Tudo literalmente registrado e compartilhado.


OUÇA A COMENTÁRIO


Acredito que fazemos isso como uma espécie de repetição das queixas que, no passado, dirigíamos à nossa mãe. Só pelo fato de termos uma suposta escuta, a dor já diminui um pouco. Nesse caso, cada um deve zelar pela sua identidade a partir do seu próprio bom senso. Porém, o que não parece nenhum pouco respeitoso é quando a pessoa publica fotos de alguém acamado, deitado no leito do hospital, por exemplo. Ou seja, quando a pessoa, protagonista da cena, não tem mais condições de opinar se gostaria de tornar esse momento público.

Então, se você está com sua mãezinha, com seu pai, com alguém querido da sua família no hospital, ou em algum espaço de cuidado, se entende que é importante contar isso aos outros, tire uma foto de um detalhe do cenário para ilustrar sua postagem. Preserve a pessoa adoecida ou acamada de qualquer constrangimento. Antes de postar uma foto da pessoa, pense se ela iria gostar disso, afinal, é a imagem dela que estará circulando pela rede social. Lembre-se: não é ético escancarar a intimidade de outra pessoa por conta da sua necessidade de mostrar que está fazendo um gesto do bem, ou mesmo para dizer que está chateado e gostaria de um olhar de apoio.

Quanto a mim, por essas e outras é que tenho pensado em fazer um documento por escrito, registrado em cartório, como alguma garantia de privacidade. Quem sabe, poderá ser útil no momento em que não serei mais capaz de decidir sobre as informações compartilhadas a meu respeito.


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui