Problemas do atendimento da RGE no Vale do Taquari serão discutidos em reunião com o MP e agência reguladora em Porto Alegre

Encontro mediado pelo deputado Edegar Pretto ocorre nesta quinta-feira, às 14h, com a presença do MP-RS, da Agergs, do Codevat e da Amvat


0
Situação ganhou destaque estadual nesta terça-feira quando produtora jogou balde de leite na porta da RGE em Lajeado (Foto: Artur Dullius)

Alertado sobre os problemas enfrentados por produtores em função da constante falta de energia elétrica na área da RGE no Vale do Taquari, o deputado Edegar Pretto (PT) entrou em contato com a chefia do Ministério Público gaúcho nesta terça-feira (18). Em função disso, o procurador-geral de Justiça do RS, Marcelo Dornelles, que já acompanhava a situação, convocou uma reunião para esta quinta-feira (20), em Porto Alegre.

A audiência deve ocorrer a partir das 14h, com a presença da RGE, da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs), do Conselho de Desenvolvimento do Vale do Taquari (Codevat) e da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat). Os problemas de fornecimento de energia por parte da RGE também são pauta de reunião da Amvat nesta quarta-feira.

Conforme Edegar Pretto, o alerta chegou a partir de contato com o presidente do Codevat, Luciano Moresco. Chamou atenção a nível estadual o vídeo de uma produtora rural do interior de Colinas que, revoltada, jogou um balde de leite na fachada da sede da companhia de energia, em Lajeado.

Para o petista, todos pagam uma conta, que é cara, por um serviço que não é prestado de modo satisfatório. Ele entende também que não é somente do direito do consumidor que é afetado. Mas também toda uma lógica econômica na produção agrícola com prejuízos aos produtores quando a empresa não cumpre com suas obrigações.

Pretto argumenta que é um drama que acirra ainda mais o sofrimento em meio à estiagem. Ele destaca que há normas e um contrato que deve ser seguido. As coisas se repetem, e isso não pode mais acontecer, entende. Ele lamenta que, na Assembleia Legislativa, as reclamações sobre o serviço prestado pela RGE não são novas. Audiências já foram feitas.

De acordo com o deputado estadual, o encontro que mediu entre o MP, entidades e a empresa busca, além de apresentar uma cobrança mais incisiva, a elaboração de um protocolo de compromisso para que interrupções no fornecimento de energia não ocorram de modo tão frequente, e que a resposta da empresa seja mais rápida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui