Produtora de Safadão é investigada por irregularidade na vacinação

Sabrina Tavares Brandão recebeu o imunizante contra a Covid-19 no mesmo dia e local de Wesley Safadão; assim como o cantor, ela estava agendada para outro posto de vacinação


0
Sabrina Tavares é produtora do cantor Wesley Safadão (Foto: Reprodução/Instagram)

Sabrina Tavares Brandão, produtora do cantor Wesley Safadão, também está sendo investigada por receber a vacina contra a Covid-19 em Fortaleza, no mesmo dia e local em que se imunizaram o sertanejo e a esposa, Thyane Dantas. Por conta de supostas irregularidades, o Ministério Público do Ceará (MPCE) e a Secretaria Municipal da Saúde apuram a conduta dos três.

De acordo com a lista de agendamento divulgada pela Prefeitura de Fortaleza, o nome de Sabrina aparece no dia 8 de julho, e informa que a produtora deveria se deslocar para um drive-thru montado no Centro de Eventos do Ceará. Porém, ela acompanhou o cantor sertanejo e foi a um shopping da cidade em um horário diferente ao que foi determinado. A informação é de que, no local, foram aplicadas vacinas do laboratório Janssen, que garantem imunização contra a Covid-19 com uma única dose.

Em nota, a Secretaria Municipal da Saúde de Fortaleza afirmou que o caso da vacinação da produtora Sabrina Tavares “faz parte do processo administrativo instaurado”. O processo também apura por que Thyane furou a fila da vacinação e se Wesley Safadão escolheu a vacina que queria tomar. O Ministério Público do Ceará também está apurando se a esposa do artista furou a fila da vacinação, já que não estava agendada para receber o imunizante naquele dia e nem estava na faixa etária determinada como público-alvo.

À época, a assessoria de imprensa de Safadão informou que Thyane recebeu a “xepa” do imunizante, como é chamada a sobra da vacina do dia. “Thyane foi acompanhar o Wesley na vacinação e existe uma coisa que todos têm acesso, não foi benefício dela, que é a dose de sangria. Cada dose dá em média um número aplicações, depende de qual for, e se não forem aplicadas na hora são descartadas. Por esse motivo, os profissionais estão autorizados a aplicar em quem estiver no local, mesmo que não esteja no dia certo para vacinação, para que não haja descarte do material”, explicou a assessoria. A Prefeitura de Fortaleza negou a versão, dizendo que não havia aplicação de doses da xepa no horário em que eles foram imunizados.

Fonte: Metrópoles

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui