Profissionais da beleza e estética da região mobilizam-se pela reabertura dos salões

Ofício exigindo a imediata retomada dos trabalhos foi protocolado nesta sexta-feira, na prefeitura de Lajeado


5
Foto: Luís Fernando Wagner

Profissionais do segmento da estética mobilizam-se para exigir a reabertura dos salões de beleza, manicure/pedicure, barbearias, e afins, em Lajeado. No início da tarde desta sexta-feira (5), Diana Trindade e Cristina Lang Giongo, representantes do grupo formado por mais de 150 trabalhadores do setor, oriundos de diversos municípios do Vale do Taquari, entregaram na Secretaria Municipal da Fazenda, um ofício endereçado ao prefeito Marcelo Caumo (PP), solicitando a imediata reabertura dos estabelecimentos. O segmento é uma das áreas do comércio que também sofre as consequências das restrições impostas pela bandeira preta, do mapa de distanciamento controlado do Governo do Estado. “Nós estamos em busca de uma flexibilização para voltar a trabalhar com segurança. Fomos muito afetados nos últimos dias por não estar funcionando. Pedimos que possamos voltar a trabalhar, com agendamento, atendimento individual e seguindo todos os protocolos”, explica Diana.


ouça a reportagem



Sindicabes fica de fora do movimento

Conforme Diana Trindade, a mobilização deflagrada em Lajeado conta com o apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e prefeitura de Arroio do Meio, além do Sindicato dos Salões de Barbeiros, Cabeleireiros, Institutos de Beleza e Similares do Estado (Sinca RS). Porém, a entidade que representa os trabalhadores e empresários do setor na região, o Sindicato dos Salões de Barbeiros, Cabeleireiros e Institutos de Beleza do Vale do Taquari (Sindicabes-VT), não manifestou apoio ao movimento. “Nós criamos um grupo de WhatsApp, e o Sindicabes foi adicionado. No entanto, eles não se pronunciaram, nem em apoio, nem discordando da mobilização”, frisa.

VÍDEO: Ofício é protocolado para a flexibilização do setor

Mobilização estadual

De acordo com a empresária Cristiane Lang Giongo, a mobilização dos trabalhadores do setor ocorre em âmbito estadual. “ O presidente do Sinc, Marcelo Chiodo, criou um abaixo-assinado online, que já reúne mais de 3,5 mil assinaturas. Este abaixo-assinado será entregue ao nosso governador”, adianta Cristiane.

Sensação de desamparo

Diane Trindade narra o momento dramático vivido por aqueles que tiram da atividade o seu sustento. “A gente tem pessoas no grupo em que o casal trabalha na área da beleza. São casais com filhos que estão sendo muito afetados, que estão dizendo que está faltando o básico. Não temos a ajuda de ninguém, estamos fechados e não tem mais o Auxílio Emergencial. Estamos desamparados”, desabafa.

Próximos passos

Após a entrega do ofício na prefeitura, o grupo aguarda o agendamento de uma audiência com o prefeito Marcelo Caumo. “O pedido foi protocolado. Estamos aguardando agora o agendamento de uma conversa com o prefeito Marcelo Caumo, que está nos apoiando e lutando contra o lockdown total aqui na região, e junto a ele somar forças”.

Luís Fernando Wagner
noticias@independente.com.br

5 Comentários

  1. E muita ganância por dinheiro, salão de beleza não é essencial além de ser lugar que dissemina o vírus facilmente!

  2. Respeitosamente, meu caro, mas discordar, pois veja bem é tomado todo tipo de cuidado, e com agendamento, só vai estar quem está sendo atendido, mas me diga e no mercado, onde alguém contaminado, observa aquela fruta, aquele tomate, aquele produto qualquer, e não satisfeito devolve, quem faz a descontaminação?? Sem falar na quantidade de pessoas se acotovelando no interior do mercado.
    Também discordo da ganância por dinheiro, e sim pelo sustento próprio e da família, bem como honrar seus compromissos.

  3. Precisamos trabalhar, não é questão de só pensar em dinheiro, muitos dependem disso para seu sustento, para comer, e ter o que dar para comer aos nossos filhos, quem tem reserva financeira, CLT, que ótimo, mas nós só temos dinheiro se trabalarmos, só comemos se trabalharmos… Sempre tivemos todos os cuidados.. Também somos essenciais!!!!

  4. Total apoio as empreendedoras. Ao sr. Mário acima, nem todo mundo é funcionalismo ou aposentado que recebe seu ordenado. Existem pessoas que tem que vender, trabalhar etc todo o dia. Do contrário não recebem!! E como irão pagar as contas? Comprar comida, eventuais remédios? Pagar aluguel?

  5. Por favor nao sou contra o fechamento de nada.. Porem se querem q este virus tenha controle que fechem tudo nao essencial.. Nao os mais fracos sem interesse publico .. Enquanto isso o salao fecha e a stacione e ta la cobrando isso e ser essencial.. Ou fecha tudo ou nao fecha nada

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui