Profissional supera câncer e oferece serviço gratuito a pacientes, em Lajeado

Alana Meyer passou pela doença e realiza procedimento de reconstrução micropigmentar para quem tem perda total ou parcial dos pelos após tratamento.


1
Alana Meyer, especialista em reconstrução micropigmentar (Fotos: Gabriela Hautrive)

Quando se fala em câncer, logo associamos a perda dos cabelos, algo que, principalmente para as mulheres, afeta também o psicológico e a autoestima. Porém, o que muitos não sabem, é que além dos cabelos, também há perda de outros pelos, como sobrancelhas e cílios. No pós-tratamento, normalmente eles voltam a crescer. Alguns ficam com falhas e outros adquirem a “alopecia permanente.” Isso significa que os pelos não crescem mais.


OUÇA A REPORTAGEM


Hoje recuperada de um câncer, Alana Meyer, de Lajeado, sentiu na pele o que é ter a autoestima baixa por conta da perda dos pelos. Diante disso, resolveu ajudar outras pessoas que também passam pelo mesmo processo. “Eu me vi, de uma pessoa vaidosa, a uma pessoa discretamente deprimida, pois o físico afeta diretamente o psicológico. Uma coisa com a outra faz com que a gente fique ou bem, ou mal”, conta.

A profissional, especialista em reconstrução micropigmentar, oferece o serviço, totalmente sem custos para pessoas que passam por tratamentos oncológicos e adquirem a perda permanente dos pelos (alopecia) ou então a perda parcial, neste caso com desconto. “Quando a gente entra nesse mundo, conversamos com inúmeras pessoas, então pude ver de pertinho, conversar com muitas mulheres, e perceber o que cada uma sentia. Entendo que não era só comigo, que muitas outras pessoas ficavam deprimidas”.

O desejo de oferecer um trabalho que pudesse beneficiar o próximo já estava nos planos de Alana. Por atuar na área da micropigmentação e ver o sofrimento que as pessoas passam durante o processo de tratamento do câncer, decidiu colocar o projeto em prática, de forma oficial em março deste ano. “Uma forma de ajuda, fazendo meu trabalho sem custo nenhum para as pessoas”.

Se fosse pago, o serviço custaria entre R$ 450 a R$600. “Para quem adquiriu a alopecia permanente, não tem custo nenhum, nenhuma taxa, material, nem nada, a absolutamente gratuito. Para outros, tanto homens como mulheres, que passaram pelo tratamento de câncer e tiveram a perda parcial, daí o serviço é feito com preço especial, tendo desconto”, explica.

“Isso não tem preço”

Conforme Alana, poder proporcionar uma melhora na autoestima das pessoas, perceber que elas estão felizes com aquilo que olham no espelho, não tem preço. “A gente ganha muito, muito mais do que dinheiro. É uma coisinha pequena, mas que faz muita diferença na vida das pessoas”, define. A profissional decidiu ajudar outras pessoas através de um problema de saúde próprio, mas entende que o espírito de amparo ao próximo, é o principal motivo. “O fato de poder ajudar alguém é o que faz a diferença, é o que precisamos. Então, me sinto, no mínimo, tão feliz quanto essas pessoas”, destaca.

História de Alana

Alana Meyer (35) foi diagnostica com câncer de mama em maio de 2018, na época com 33 anos. Como não tem histórico da doença na família, é jovem e saudável, foi orientada a fazer um DNA. A partir disso, descobriu que possuía uma mutação genética, chamada de “BCR2”, que desencadeia o problema. Inicialmente fez a retirada da mama direita, depois da esquerda. Agora, há recomendação médica para que Alana retire também o útero. Com o tratamento já finalizado, alguns cuidados com a pele, e outras partes do corpo, precisam ser mantidos e monitorados com medicamentos.

Como solicitar o serviço de reconstrução micropigmentar

Quem ficou interessado no serviço pode procurar a Alana através das redes sociais: Instagram ou Facebook.

Texto: Gabriela Hautrive
producao@independente.com.br

Foto: Divulgação

O Grupo Independente carimba esta ação

1 comentário

  1. ALANA MAYER PARABÉNS PELA INICIATIVA DE AJUDAR PESSOAS QUE MAIS PRECISAM DA AUTO ESTIMA, CONCORDO QUE NA VIDA NEM TUDO É DINHEIRO, QUEM SABE ESTEJA AÍ UM COMEÇO PARA QUE OUTROS PROFÍSSÍONAÍS DE OUTRAS ÁREAS TAMBÉM COMECEM A PENSAR MAIS NO SER DO QUE NO TER POR QUE DESTE MUNDO NÃO SE LEVA NADA. ABRAÇO.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui