Programa de Inclusão Social e Produtiva no Campo busca dinâmica na área rural


0
Foto: Kainan Oliveira

O Programa de Inclusão Social e Produtiva no Campo, idealizado pela Cooperativa Languiru, com apoio e envolvimento da Emater/RS-Ascar, foi lançado no inicio do mês em assembleia da Languiru.

De acordo com o gerente regional da Emater/RS-Ascar, Marcelo Brandoli o foco do programa está no atendimento ao produtor rural, incluindo o maior número de produtores possíveis com produção entre 80 e 300 litros de leite por dia. Ele explica que a atividade leiteira é muito importante e envolve muitas famílias, por isso, demanda atenção.


ouça a entrevista


O projeto conta com o envolvimento de 21 municípios, com a seleção inicial de dez produtores em cada um deles. Brandoli explica que o produtor será chamado no evento municipal para o entendimento de como funciona o processo. Após, ocorre a pré-inscrição e seleção dos agricultores, com novos associados devendo procurar a Cooperativa Languiru e os já associados dirigindo-se aos escritórios da Emater nesses municípios beneficiados.

A seleção do público beneficiário passa por avaliação do Grupo Gestor do programa. Posteriormente essas propriedades participam de diagnóstico, com visita técnico-social e coleta de dados para composição de indicadores de resultados e impactos, já a partir do próximo mês de julho. O programa segue com planejamento individual e acompanhamento técnico-social nessas propriedades selecionadas, com visitas para elaboração e acompanhamento para o desenvolvimento de plano de ação individual.

Segundo o presidente da Cooperativa Languiru, Dirceu Bayer, o programa ainda terá atividades em grupo, com dias de campo e levantamento de necessidades coletivas, e a partir do mês de agosto, atividades abertas a outros produtores rurais que não estejam envolvidos diretamente com o projeto.

Bayer cita ainda que o grande objetivo do programa é ter um grande número de associados de matrículas. “Temos que incentivar novos associados, e esses novos associados se não forem produtores, uma vez comprando na Languiru sendo simples associado e deixando sua matrícula, são considerados partes do ato cooperativo, e nós temos esses benefícios”, comenta.

O programa é executado a longo prazo. “Temos muito trabalho por fazer”, finalizam os administradores. KO/AI

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui