Programas ligados à infância completam três anos em Estrela

Primeira Infância Melhor (PIM) e Criança Feliz se consolidam no atendimento a gestantes, bebês e crianças


0
Foto: Prefeitura de Estrela / Divulgação

Em 2017, Estrela, através do Governo Municipal, fazia sua adesão aos programas Primeira Infância Melhor (PIM) e Criança Feliz – (Primeira Infância), voltados a gestantes e crianças de zero a três anos de idade. Mas foi em julho de 2018 que as duas propostas, após a implementação administrativa, iniciaram suas atividades, com as primeiras visitas domiciliares e atendimentos. Três anos depois, os programas hoje ligados às secretarias municipais da Saúde e da Educação comemoram os números e os resultados obtidos.

Apoiar a gestante e a família na preparação para o nascimento da criança; fortalecer o vínculo afetivo e o papel das famílias no cuidado, na proteção e na educação das crianças; estimular o desenvolvimento e facilitar o acesso das famílias atendidas às políticas e serviços públicos de que necessitem. Estes são alguns dos objetivos das duas políticas públicas que recebem recursos estaduais e federais para atuarem no atendimento à primeira infância na sua integralidade.

O PIM está ligado à Secretaria Estadual de Saúde; e o Criança Feliz ao Ministério da Cidadania, mas em Estrela este atende como Primeira Infância. Atualmente, os programas sociais têm 150 famílias em situação de vulnerabilidade social, que recebem transferência de renda do Bolsa Família, que estão cadastradas e beneficiadas pelos atendimentos que hoje englobam cerca de 106 crianças entre 0 a 3 anos e, no momento, 16 gestantes. De janeiro a agosto do corrente ano foram contabilizadas 2.4 mil visitas feitas pelas equipes. Em três anos, foram mais de seis mil atendimentos.

O Grupo Técnico Municipal (GTM) planeja, monitora e avalia as ações desenvolvidas; seleciona e capacita os visitadores e identifica as famílias para atendimento. É formado pela psicóloga Natália Sulzbach (Saúde); a assistente social Nessana Ávila (Saúde) e pela pedagoga Ana Möllmann (Smed). A supervisora-monitora é a assistente social Elisângela Beatris Becker, e a assessora Ilânia Käfer. Hoje as equipes são formadas por uma supervisora e nove visitadores. As atividades acontecem através de visitas semanais das equipes, como as realizadas pelos visitadores, que estimulam o desenvolvimento das crianças com atividades lúdicas e brincadeiras, conforme as necessidades encontradas dentro de cada faixa etária. Entre projetos desenvolvidos e já realizados, destaque para o ‘Ternura que Impacta Vidas’, realizado no Dia das Mães; e o Projeto Dália, ocorrido em 2018, como outros anuais que são desenvolvidos na Páscoa, Dias das Crianças e Natal. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui