Projeto de extensão une comunidade, estudantes e docentes no combate à violência contra a mulher

Projeto é realizado pela Univates desde 2014. Estudantes de Direito e Psicologia dão orientações às vítimas antes das audiências


0
Cristina Pretto e Gisele Dhein (Fotos: Arquivo pessoal / Divulgação)

A psicóloga Cristina Pretto e a professora de Psicologia Gisele Dhein detalharam o projeto de extensão “Maria da Penha”, realizado pela Univates desde 2014. Conforme Gisele, a iniciativa promove a conexão entre comunidade, estudantes e docentes. Acadêmicos dos cursos de Direito e Psicologia realizam o atendimento e assessoramento às mulheres vítimas de violência, por meio do Serviço de Assistência Jurídica (Sajur) da Univates.


ouça a entrevista

 


 

Cristina explica que o objetivo é prestar orientações às vítimas antes de elas irem às audiências judiciais. “As vítimas, às vezes, não passaram por nenhuma entidade da rede de proteção antes. Elas estão muito inseguras”, observa a psicóloga.

Os atendimentos visam levar informações e fornecer maior segurança para que as mulheres tomem suas decisões. “A informação é o que traz o empoderamo, a força e a união, e é o que faz a nossa sociedade avançar”, destaca Cristina.

A professora Gisele destaca o trabalho interdisciplinar dos estudantes. “Além dos conhecimentos do Direito e da Psicologia, as ações que são interdisciplinares. Sozinha, uma área do conhecimento não daria conta”, percebe.

Conforme a docente, o projeto também realiza ações com homens, para desconstruir esteriótipos e comportamentos que eles apresentam. “Trabalhamos, de certo modo, com processos educativos em saúde de um modo mais amplo.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui