Projeto Vida retoma na segunda, mas mães lamentam retirada do transporte das crianças

Além da locomoção, almoço também não será mais ofertado


0
Rosane Vedoi da Silva e Fabiula da Costa Camargo (Foto: Caroline Silva)

Os projetos Vida retomam suas atividades em Lajeado nesta segunda-feira (28), após 15 meses sem atendimento em razão da pandemia. No entanto, o retorno ocorrerá com algumas mudanças, como a retirada do transporte que buscava os estudantes nas escolas e levava para os projetos, e também sem a oferta do almoço.

A notícia não agradou algumas mães de alunos que frequentam as atividades e retornariam neste ano, principalmente pela extinção do transporte. É o caso de Rosane Vedoi da Silva, que tem uma filha de 7 anos que frequenta o projeto. Ela diz que, por conta disso, a filha não irá voltar para o projeto. “Ficaria difícil, não tem como pegar ela às 11h30 levar para a casa, dar almoço e levar para o projeto, e pagar uma topic é muito caro”, conta.

Situação parecida para Fabiula da Costa Camargo, que também tem uma filha que participava das atividades. Conforme ela, gastaria por mês cerca de R$ 250 com van escolar. “Não tenho como pagar esse valor com Tupic. Antes o micro pegava no colégio e já levava e lá as crianças tinham o almoço. Não seria viável a gente sair do trabalho e ir levar. Seria muito corrido”, comenta. No caso de Fabiula, a filha também deixará de participar do projeto devido a falta de locomoção.

Passagem escolar

Em contato com a secretária municipal de Educação, Vera Plein, ela informou que as atividades retomam nesta segunda de forma gradual no turno de 4h, para alunos já matriculados em 2020. Sobre a retirada do transporte, a titular da pasta disse que a prefeitura oferece passagem escolar. Contudo, Fabiula e Rosane disseram que por as filhas terem 7 anos não é possível irem sozinhas até os locais dos projetos.

Os projetos

Reforço escolar, aulas de artesanato, culinária e recreação são algumas das atividades oferecidas aos alunos dos Projetos. Até março de 2020, cerca de 620 jovens entre 5 e 12 anos eram atendidos nos Projetos Vida dos bairros Campestre, Conventos, Moinhos, Santo André, Santo Antônio e São José.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui