Projeto Vida Sem Cigarro é apresentado para a comunidade de Arroio do Meio

Iniciativa é direcionada para fumantes interessados em largar o tabagismo


0
Iniciativa da administração municipal foi divulgada para a comunidade na manhã desta quarta-feira (Foto: Artur Dullius)

Cerca de 25 pessoas participaram da apresentação do projeto Vida Sem Cigarro, em Arroio do Meio. A iniciativa da administração municipal foi divulgada para a comunidade na manhã desta quarta-feira (29), no auditório da secretaria de Educação. Ela é direcionada para fumantes interessados em largar o tabagismo.


ouça a reportagem

 


A ação é coordenada por quatro profissionais que atuam nas unidades básicas de saúde do município. Segundo Gustavo Kasper, secretário da Saúde de Arroio do Meio, a ideia é apresentar alternativas que venham trazer qualidade de vida e prevenção à saúde aos munícipes. O projeto vai contar com oito encontros e terá a durabilidade de três meses, iniciando já no mês de julho.

“Esse público vai ter o acompanhamento de profissionais capacitados. Temos dois médicos e duas enfermeiras que vão, junto com a farmácia do município, fazer um tratamento para que essas pessoas possam ter a oportunidade de largar o tabaco”, explica.

Gustavo Kasper, secretário da saúde de Arroio do Meio (Foto: Artur Dullius)

De acordo com o secretário, o tabagismo tem matado mais do que a covid-19 atualmente. Dados apresentados também indicam que um terço da população brasileira é fumante. “Os números mostram em torno de 500 mortes diárias em nível de Brasil. Então já podemos considerar isto uma epidemia e temos que combater ela, até para evitar a própria despesa do setor público, que tanto sofre com dificuldade de recursos”, pontua.

Kasper lembra ainda que o projeto conta com o financiamento do SUS e não será necessário nenhum investimento dos participantes. “Quando se fala em investimento é um baita negócio, pois quem fuma tem uma despesa para manter esta condição. Fora os custos que acabam sendo gerados para o tratamento das doenças que o cigarro provoca. Sem falar que um tratamento como este, se for procurado na rede privada, não é nada barato”, lembra.

O projeto era para ter iniciado ainda em 2021. No entanto, a pandemia acabou postergando o início das atividades. “Conseguimos iniciar alguns programas ainda no ano passado, especialmente da ginástica rítmica e o da saúde nas escolas. Este ano já começamos o da nutrição e logo mais será apresentado um de terapias alternativas. Todos eles voltados para a prevenção e qualidade de vida do nosso munícipe”, conclui o secretário.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui