Proprietário de transportadora diminui frota depois do aumento dos combustíveis

"Desde o início da pandemia já vendi dois caminhões e agora coloquei mais um à venda", diz Charles Horn


3
Charles Horn (Foto: Joel Alves)

Trabalhando no ramo de transportes há 25 anos, Charles Horn se diz preocupado com o ramo dos transportes no Brasil.

“Com este último aumento dos combustíveis, fomos obrigados a pagar mais pelo diesel e não conseguimos repassar no frete”, lamenta Horn.

Com a diminuição das viagens no início da pandemia, Horn se obrigou a vender dois caminhões, com este último aumento, colocou mais um à venda.

“Estamos evitando rodar para muito longe do Rio Grande do Sul, pois fora dos Estados do Sul os combustíveis estão ainda mais caros”, diz Cherles Horn.

Horn possui uma frota de seis caminhões, gasta 6 mil litros de óleo diesel por mês. Para encher o tanque de um dos caminhões são necessários 600 litros, o valor aproximado de R$ 3.900, roda 1.800 quilômetros (Distância entre Lajeado – Belo Horizonte) e faz três quilômetros por litro de diesel.

Texto: Joel Alves

3 Comentários

  1. Camioneiros apoiaram o Bolsonaro foram leias a ele e foram enganados e prepara mais o bolso pois pode e creio que vai piorar .. pobre do camioneiro q tem um caminhão vai vende o que .. muitos vão parar e ser empregados escravos das grandes transportadoras vão acabar com a tal classe média no Brasil.. aqui ou vc e rico ou morto de fome …

  2. Enquanto não mudar as regras no Brasil teria eliminar fundo partidário 8 bilhões e regalias vereador,prefeito,Deputados etc. Acabar regalias Ministério pùplico e estaduais e acabar com regalia STF cada ministro tem 217 pessoas para servir 01 único fora outros ministros nós outro países não tem nada disso só aqui 😱

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui