Psicoterapeuta detalha como foi atuar no acolhimento às vítimas e familiares da Boate Kiss na noite da tragédia

Lizi Moreira atuou por cinco anos em um serviço de acolhimento em Santa Maria. Para ela, as famílias ficarão com uma cicatriz que jamais cicatrizará: “Ferida aberta”


0
Lizi Moreira e a apresentadora do “Papos”, Aline Silva (Foto: Tiago Silva)

Na semana em que foi iniciado o julgamento do processo relativo à tragédia da Boate Kiss, de Santa Maria, o programa Papos de Mulher recebeu neste sábado (4) a psicoterapeuta e especialista em saúde mental Lizi Moreira. Ela fazia residência em Santa Maria e atuou diretamente no dia do fato, que deixou 242 mortos e outras 636 vítimas em 27 de janeiro de 2013.

Ela conta que entrou a madrugada no suporte às vítimas, famílias e profissionais que atuaram diretamente no episódio. Ela fez isso durante cinco anos, quando trabalhou com uma equipe de 20 profissionais em um serviço de saúde estruturado para esse fim.

Lizi recorda que Santa Maria era “um cenário de guerra”. “Não tinha o que fazer, era acolher, estar ali. Era comoção total”, lembra. “Ao longo da semana, a gente saia nas ruas, eram as pessoas olhando para o nada, as pessoas estavam perdidas. Era geral, não foi só Santa Maria, era a região toda”, afirma.

Até hoje, a psicoterapeuta mantém vínculo com algumas das vítimas e famílias de vítimas. “Aquilo foi tão intenso, e com o passar do tempo, os sentimentos vão se modificando”, explica. “Famílias conseguiram se reestruturar, achar seu caminho, e teve aquelas que ficaram desestruturadas”, analisa. “Esse momento em especial agora do julgamento ativa as memórias, e mexer na ferida de novo, a ferida está aberta, e ela vai permanecer muito tempo aberta para muitas famílias, e a para algumas, não vai cicatrizar nunca”, lamenta.


Estilo, por Douglas Petry

O jornalista e consultor de estilo Douglas Petry aborda moda, arte, decoração, estilo e bom gosto todos os sábados no Papos de Mulher, dentro do quadro “Estilo”.

Hoje ela fala sobre “cair na tinta”, termo usado pelo pessoal da moda quando a pessoa usa a mesmas cores.

 


Papos com quem sabe

O quadro “Papos com quem sabe” deste sábado (4) é com a Simone Schneider, diretora técnica da empresa Lógica Assessoria Ambiental Inteligente.

Nesta edição, ela dá dicas para o consumo consciente no Natal. Acompanhe as orientações no áudio abaixo!

 


Na Cozinha: Pão de alho especial

com Daniel Bortolini

Ingredientes

  • Pão cacetinho
  • Uma cabeça de alho
  • Uma perna de linguiça
  • Requeijão
  • Queijo mussarela ralado e tempero verde a gosto

Preparo

Retire a ponta da cabeça do alho, embale o alho em papel alumínio e coloque em forno por cerca de 40 minutos. Isso resultará em uma pasta de alho. Misture com o requeijão. Reserve. Abra a perna da linguiça e misture com o queijo mussarela ralado e o tempero verde. Abra o pão de forma longitudinal, amasse bem o miolo para obter espaço para o recheio. Passe a pasta de alho e requeijão e depois a outra mistura. Não economize no recheio. Em uma frigideira em fogo médio para baixo, coloque o pão com o lado do recheio para baixo, cozinhe e depois finalize o outro lado. Está pronto.

Pão de alho especial

Receita: perfil Tastemade Brasil no Tiktok


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui