“Quando houver segurança, é possível voltar as aulas presenciais”, afirma diretor do 8º núcleo do Cpers 

“Mantemos a nossa ideia de que, neste ano, não é possível o retorno às escolas”, afirma Gerson Johann.


1
Gerson Johann, diretor do 8º Núcleo do Cpers-Sindicato, com sede em Estrela (Foto: Tiago Silva)

O diretor do 8º núcleo do Cpers-Sindicato, Gerson Johann, reafirmou a posição do sindicato dos servidores da educação de contrariedade ao retorno das aulas na rede estadual. Desde 18 de março, não há aulas presenciais nas escolas estaduais em função da pandemia de coronavírus. “A posição do Cpers é: quando houver segurança, é possível voltar as aulas presenciais”, afirma. “O Cpers quer a volta, mas com garantias legais e sanitárias de que não vai haver novo processo de proliferação a partir das escolas”, reforça.


ouça a entrevista

 


 

Para ele, é um momento atípico para toda a sociedade ter que conviver com uma pandemia. O sindicalista entende que “o governo do estado neste período não ajudou, porque não criou condições para uma volta segura às salas de aula”.

Por isso, o sindicato vê com descrédito o calendário para o retorno das atividades de educação. “Mantemos a nossa ideia de que, neste ano, não é possível o retorno às escolas. Mantemos a nossa tese de que é preciso haver testagem nos professores e nos alunos numa possível volta”, detalha.

Johann defende que é preciso pensar a relação escola-sociedade a partir do início do ano que vem, e ele não vê esse movimento por parte do governo do estado.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

 

1 comentário

  1. FDP, não serve para nada esse bosta.
    Todo mundo trabalhando vida que segue, mas os professores não podem… mas na praia podem ir.
    Vai a m…. seu lixo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui