“Quando vou fazer entrega, as pessoas se espantam”, diz caminhoneira de 23 anos

Gabriela Henicka foi a primeira mulher da profissão a ser vacinada contra a Covid-19, em Lajeado


0
Gabriela Henicka em entrevista à Rádio Independente (Foto: Rodrigo Gallas)

Os desafios e preconceitos que existem em relação a uma mulher caminhoneira foram pauta no quadro Sem Preconceito do programa Panorama desta sexta-feira (2). No último dia 10 de junho, Gabriela Henicka (23) foi a primeira mulher da profissão a ser vacinada contra a Covid-19, em Lajeado.

Além de caminhoneira, a jovem é administradora e sócia, junto com o seu pai, da empresa Transportes Valmir. “Quando vou fazer entrega, as pessoas se espantam”, diz ao comentar sobre o preconceito vivido na profissão. No trânsito, segundo ela, também é “muito difícil”, porque o senso comum diz que mulher não sabe dirigir direito, “mas tu vai aprendendo a lidar.”

“Não tem como mudar as coisas do dia pra noite, o Preconceito sempre vai existir. Só que aí, tu tem que aprender a lidar com ele da melhor maneira possível.” A jovem caminhoneira relata ser difícil encontrar outras mulheres dirigindo caminhões em Lajeado, mas ao sair da região, os encontros se tornam mais comuns.

Veja reportagem completa sobre a jovem caminhoneira:

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui