Quem não faz reunião não tem gestão

Muitas empresas deixam de fazer reunião por não saber construir uma reunião produtiva.


0
Gustavo Bozetti, diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RS (Foto: Arquivo / Artur Dullius)

Faz mais de dez anos que trabalho ativamente na construção de cultura empresarial. Se pudesse expressar o que eu faço em uma frase seria: auxilio empresas a construir cultura de alta performance. Acreditamos que a cultura é maior do que a economia. Uma cultura próspera constrói uma economia próspera. Porém, não se constrói uma cultura forte se não fizermos reuniões, se não tivermos na nossa rotina as famosas “rodas de conversas”.

Essas reuniões podem acontecer de diversas formas, mas são elas as responsáveis por proporcionar o ambiente adequado para o debate de ideias e troca de informações. Quantos aprendizados já tivemos em nossas vidas durante as rodas de conversas que aconteceram nos almoços de domingo? Quanta troca de informações nas conversas com amigos? Quanta troca de experiências tivemos em conversas com colegas de profissão?


ouça o comentário

 


 

As reuniões servem como “fio condutor” das informações mais relevantes nas empresas e na vida. Uma empresa que não faz reuniões, possui dificuldade de comunicar suas ideias para as pessoas envolvidas nos processos. As reuniões servem para que possamos solicitar apoio, buscar inovações, motivar a equipe, informar pontos relevantes, resolver problemas, criar oportunidades e tomar decisões coletivamente.

O que vemos é que muitas pessoas deixam de fazer reuniões porque não sabem conduzi-las. É por este motivo que afirmamos que quem não faz reunião, não tem gestão. Muitas são as empresas que não possuem em sua rotina o hábito de fazer reunião e quando convocam uma reunião, causam desconforto na equipe, que muitas vezes percebe que reunião é sinônimo de coisas ruins e desgastantes.

Essas crenças limitam o crescimento das empresas. Existem aspectos que bloqueiam as reuniões, como os pré conceitos, os pré julgamentos, a estupidez, as grosserias, os celulares interferindo na reunião, a falta de pauta, as conversas paralelas, o desrespeito aos horários e por estes motivos, as empresas e as famílias optam por não reunir as pessoas.

Reunião tem como objetivo central “unir novamente” as pessoas, reforçando o coletivismo da organização e da família. É fundamental criarmos o hábito de fazer reuniões para que possamos, através dessas reuniões, abordar os assuntos que são relevantes. As reuniões podem servir para repetir pontos importantes que, por vezes, ficam esquecidos. Pode servir para conscientizar as pessoas sobre a relevância de alguns aspectos que, por inúmeros motivos, não estão claros para todos. Em resumo, reuniões são fundamentais para que uma empresa ou uma família se fortaleça e evolua.

Já vi resultados impressionantes surgirem depois de inserida uma rotina de reuniões em nossas vidas. Lógico que, assim como tudo na vida, se for em excesso, é prejudicial. Você faz reuniões? Suas reuniões são produtivas? Você sabe conduzir essas reuniões para obter os melhores resultados na sua vida? Se ainda não se habituou a essa rotina, comece imediatamente. Os resultados positivos serão uma ótima consequência. Forte abraço e até a vitória, sempre.

Gustavo Bozetti (@gustavobozetti), diretor da Fundação Napoleon Hill e MasterMind RS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui