Quem são? DML de Lajeado acumula seis corpos não identificados 

Em um intervalo de um mês, seis pessoas sem identificação oficial se encontram em Lajeado, fato inédito na lembrança de funcionário há 31 anos.


0
Foto: Natália Ribeiro/Arquivo Independente

Um número chama atenção nos últimos dias no Departamento Médico Legal de Lajeado. Seis corpos, encontrados em um espaço de um mês, não identificados de forma oficial estão no local.


OUÇA A REPORTAGEM


 

Segundo o técnico em perícias Gilberto Marmitt, o Coca, é um fato inédito em seus 31 anos de atuação no departamento. “Tivemos que adequar a câmara fria para o armazenamento enquanto não podemos fazer a identificação oficial, mas realmente não lembro de acumularem seis corpos”, afirma. Ele ressalta que estão sendo aguardados resultados de exames e que a expectativa é que algumas dessas pessoas sejam identificadas já nos próximos dias.

Marmitt também explica o que acontece quando alguma pessoa não é identificada após muito tempo. “A Justiça constatando que trata-se de uma pessoa falecida não identificada, em geral o procedimento é sepultar a pessoa no município em que foi encontrada”, explica.

Os seis corpos foram encontrados nos seguintes casos: um homicídio ocorrido na madrugada do dia 29 de junho, quando o corpo da vítima foi carbonizado no porta-malas de um carro, no Bairro Jardim do Cedro, em Lajeado; as três pessoas que morreram carbonizadas na noite do dia 9 de julho, no interior de Cruzeiro do Sul; uma ossada encontrada em meio a vegetação, na localidade de Santa Rita em Estrela no dia 26 de julho; e o corpo retirado das águas do Rio Taquari na tarde da última quarta-feira (29), em Estrela.

Todos os corpos tiveram material colhido para realização da identificação via exame papiloscópico ou DNA. Mesmo assim qualquer informação é bem-vinda, e o contato para o mesmo é o telefone 3748-3060 com o DML de Lajeado. Pode se entrar em contato também, com a delegacia de Polícia Civil de sua cidade, e em municípios que não contam com o órgão, pode se procurar Brigada Militar.

Texto: Júlio César Lenhard

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui