“Quero ouvir a opinião das pessoas que são isentas”, diz vereador Rodrigo Conte

Parlamentar pediu vista no projeto que prevê a possibilidade de abertura do comércio aos domingos e feriados em Lajeado


0
Rodrigo Conte (PSB) assumiu a cadeira de Adriano Rosa (PSB) e irá ocupar um espaço pelos próximos 90 dias (Foto: Artur Dullius)

Um importante projeto esteve na pauta da sessão da Câmara de Vereadores de Lajeado na noite desta quinta-feira (9). No entanto, não foi desta vez que os comerciários do município tiveram uma resposta acerca da proposta que prevê a abertura do comércio aos domingos e feriados. Isto porque a matéria recebeu pedido de vista do vereador Rodrigo Conte (PSB), que assumiu a cadeira de Adriano Rosa (PSB) nesta quinta e irá ocupar um espaço no plenário pelos próximos 90 dias.

Em entrevista para a Rádio Independente, Conte disse ter feito o pedido pois acredita ser importante um tempo maior para ouvir outras pessoas envolvidas na discussão. “Foi a minha primeira vez sentando na cadeira de vereador e você votar em um projeto de tamanha grandeza como é a PL 72, que pode impactar algumas situações pessoais. Eu acredito que a gente ainda tem mais alguns dias para discutir e por isso tomei essa decisão de pedir vistas”, explica.


ouça a posição do vereador

 


Nas palavras do vereador, já existe um movimento intenso de veículos na parte central do município em domingos. No entanto, ainda é preciso entender se este consumidor irá parar para fazer compras, ou então se ele vai gastar o dinheiro em outra cidade.

“Dentro desta discussão existe o comerciário, que está apresentando os seus motivos e que ontem esteve na Câmara de Vereadores. No outro lado está o comerciante, que quer ter a liberdade de poder abrir o seu negócio quando entender necessário. Mas, no meio desta engrenagem, tem alguém que vai movimentar todo esse processo, que é o consumidor. Quero ouvir a opinião das pessoas que são isentas, que não estão atentas a toda essa discussão”, argumenta.

De acordo com o parlamentar, as respostas serão buscadas pessoalmente. Segundo ele, qualquer instrumento de pesquisa, ou até mesmo o uso das redes sociais pode ser tendenciosa. “Nós vamos ser muito isentos, precisamos ouvir todas as partes, por mais que tenha um tendência de votar a favor ou contra. Vamos fazer muito corpo a corpo, conversar olho no olho com as pessoas. Se tu for para a rede social é muito fácil mobilizar uma turma. Acho que o olho no olho ainda é a forma mais correta de buscar essas argumentações para ter um posicionamento”, lembra.

Ao ser questionado, Conte reforçou que o seu pedido não foi estratégico. “Quando você pede vistas é porque ainda tem uma certa indefinição. Ontem, eu poderia muito bem ter chegado lá e me posicionado, mas seria muita falta de responsabilidade minha. Quero parabenizar todas as partes que se sensibilizaram e entenderam a minha situação, que eu precisava de mais tempo”, esclarece.

Ainda de acordo com o vereador, outros parlamentares também estão indecisos quanto ao seu voto e devem usar o período para buscar novas opiniões. “Até para que esses vereadores possam trabalhar, para que não vire uma briga política. Para entender que esse projeto é para o desenvolvimento da cidade, ou então que é para manter a questão como está, para que se valorize o domingo. São duas partes que estão em uma discussão muito forte. Esses dez dias, não só para o Rodrigo Conte, mas a gente nota que alguns vereadores também vão ter a oportunidade de se definir”, conclui.

Agora a proposta tem até dez dias para ser votada, mas o vice-presidente da Câmara, Heitor Hoppe (PP), já adiantou que o projeto não vai para apreciação na sessão da próxima terça-feira (14), em razão do presidente Isidoro Fornari Neto (PP) não estar presente.

Texto: Artur Dullius
reporter@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui