Quinoa: o “trigo” dos Incas

Seu grão produz uma semente pequena, comestível, rica em proteínas, vitaminas e minerais


0
Foto: Ilustrativa / Pixabay

A quinoa é cultivada na América do Sul desde os tempos pré-colombianos, sendo originária da região dos Andes. Ela é conhecida também como o trigo dos Incas e o seu grão produz uma semente pequena, comestível, rica em proteínas, vitaminas e minerais.
Os povos indígenas sempre usaram as sementes desta planta em sua alimentação como base de sopas, pães e bebidas.

Arquivos e crônicas arqueológicas e antropológicas na América do Sul andina (especificamente Peru e Bolívia) evidenciam a presença da quinoa entre 8.000 e 5.000 anos a.C., fazendo deste alimento, oriundo de colheita e do berço andino, o mais antigo de que se tem registro.

Medico e gourmet Marcos Frank fala sobre culinária nas sextas-feira no quadro “Direto Ao Ponto” (Foto: Divulgação)

Nos tempos pré-incas era utilizada na agricultura e no intercâmbio comercial entre as civilizações peruanas antigas, desde os Mochicas até os Nazcas.

Conhecida também como o trigo dos incas, o grão produz uma semente pequena, comestível, rica em proteínas, vitaminas e minerais. Os Incas chamavam de “chisiya mama”, o que significa em quéchua (língua nativa indígena) “mãe de todos os grãos”. Para eles, a quinoa era uma planta sagrada, e era o imperador Inca que todos os anos no solstício semeava os primeiros grãos usando um utensílio de ouro e oferecia ao sol.

Com a invasão da Espanha na América no século XV, a colonização modificou o modo de vida social dos que já viviam na região dos Andes . Dentre estas mudanças, os hábitos alimentares foram substituídos pelos dos espanhóis, como exemplo, a substituição da quinoa pelos grãos consumidos na Europa, dentre eles, trigo e cevada.

Desta forma, este alimento considerado “milagroso” pela colonização Inca, entre outros alimentos autóctones caíram paulatinamente em desuso. os agricultores andinos, mesmo sendo obrigados a mudar seus hábitos alimentares, conservaram algumas sementes da quinoa e continuaram o seu cultivo em pequenas parcelas de terra. Porém sua memória se perdeu no transcurso de diversas gerações.

A partir do século XX, as características nutricionais do grão de quinoa foram reconhecidas e redescobertas através de estudos e pesquisas.

Segundo a Assembleia Geral das Nações Unidas (AGNU) para a alimentação e agricultura, a quinoa é um dos alimentos mais completos e balanceados para o consumo humano . Possui alto conteúdo de vitaminas e minerais como ferro, fósforo, potássio, cálcio, zinco e magnésio , além de seu valor biológico ser comparável a proteína animal, proveniente da caseína do leite materno.Além disso foi selecionada pela NASA para a remoção do dióxido de carbono da atmosfera e para produzir comida, oxigênio e água para a tripulação de missões espaciais longas.

A quinoa pode ser encontrada no Brasil, importada da Bolívia, mas já vem sendo cultivada na região do Cerrado.

Receita de quinoa com manteiga e couve

– 1 xícara de quinoa (quando comprei pedi para q misturassem meia porção de quinoa branca e meia de vermelha, comprei a granel na Divina Terra Lajeado)
– 1 xícara de água

Misture e deixe de molho no mínimo 4 horas.

– 1/2 cebola picada
– 1 colher de chá de azeite
– sal a gosto
– 1 xícara e 1/2 de água quente
– 1 xícara de couve picada
– 4 colheres de manteiga

Refogue a cebola com o azeite, acrescente a quinoa drenada, misture por cerca de 2 minutos salgue. Em seguida adicione a água e deixe cozinhar por cerca de 8 min ou até ficar “al dente” adicione a couve e a manteiga, mexa e tampe. Deixe cozinhar em fogo baixo por mais 3 min. Se achar necessário adicione mais manteiga.

Servi com uma sobrecoxa assada!

Texto por Marcos Frank, médico e gourmet

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui