Rebeca fecha participação olímpica com dois pódios inéditos e um sentimento: “Só tenho gratidão”

Principal nome do país nos Jogos de Tóquio foi quinta colocada no solo depois de ouro no salto e prata no individual geral


0
Rebeca Andrade fica em quinto na final do solo nas Olimpíadas de Tóquio (Foto: Ricardo Bufolin/ Panamerican Press / CBG)

O saldo foi mais do que positivo para quem se classificou pouco mais de um mês antes das Olimpíadas e sofreu com lesões durante todo o ciclo olímpico. Primeira campeã olímpica da ginástica feminina brasileira, Rebeca Andrade, de 22 anos, encerrou sua participação com o quinto lugar no solo com apenas um sentimento em mente: gratidão.

“Eu estou muito feliz, muito grata. Gostei de todas as minhas apresentações, desde o primeiro dia, e ter finalizado tão bem agora, com o solo, e ter levado mais alegria para o Brasil valeu a pena. Todas as pessoas que torceram por mim, que acreditaram no meu talento, que me conheceram agora também, fico feliz por inspirar tantos. Não sinto outra coisa que não seja gratidão”, afirmou a paulista.

Ouro no salto e prata no individual geral, ela é até agora o grande nome do Brasil em Tóquio. Rebeca fez questão de enfatizar que a vitória não foi pessoal, mas de um conjunto de pessoas que acreditaram na recuperação dela. “A mensagem que fica é acreditar em você, não desistir de maneira alguma do jeito fácil. Eu tive várias oportunidades de desistir, mas pessoas incríveis me ajudaram”, comentou.

Na apresentação no solo, ela foi penalizada por pisar fora da área delimitada no tablado e terminou em quinto lugar, a pouco mais de um décimo da zona de medalhas. “Eu não me senti pressionada para nada. Para levar uma medalha para o Brasil, para querer acertar. Foi uma coisa natural, que só fluía. Eu dei o meu melhor e isso é o que importa.”

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui