Região de Lajeado permanece na bandeira vermelha pela sétima semana seguida

Região obteve uma melhora nos indicadores, passando do 1,55 para 1,49, a 6ª melhor nota entre as 21 regiões Covid do RS


1
Foto: Governo do RS / Divulgação

A região de Lajeado (formada pela maioria dos municípios do Vale do Taquari) foi classificada pela sétima semana seguida como bandeira vermelha no Modelo de Distanciamento Controlado do Governo do Rio Grande do Sul. A informação foi divulgada no fim da tarde desta sexta-feira (08) na 36ª rodagem das bandeiras.

Depois de ter ficado próxima da bandeira laranja na última sexta (1º), agora obteve uma melhora, passando do 1,55 para 1,49, a 6ª melhor nota entre as 21 regiões Covid. Teoricamente a região de Lajeado seria classificada em bandeira laranja com a nota de 1,49, mas desde o dia 1 de janeiro o Estado adotou uma nova regra, a de salvaguarda de leitos. Desta forma o modelo de Distanciamento Controlado garante bandeiras de risco alto e altíssimo (vermelha e preta) quando a região tem elevada quantidade de novas hospitalizações de pacientes confirmados com Covid-19 (conforme a região de residência do paciente) e, ao mesmo tempo, está inserida em uma macrorregião com baixa capacidade hospitalar.

Conforme o Estado, Esse refinamento no modelo é necessário pois, quando a capacidade hospitalar está próxima do limite, os indicadores de “velocidade do avanço” e de “variação da capacidade de atendimento” se tornam prejudicados – uma vez que, mesmo havendo demanda por leitos, eles podem não ser preenchidos devido à lotação das áreas Covid dos hospitais.

O Prefeito Marcelo Caumo, informou que não irá entrar com o recurso para tentar voltar para a bandeira laranja.

Conforme a justificativa do Estado, dos seus quatro indicadores regionais, Lajeado alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta) em dois deles. É o caso do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias e do número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil. Os indicadores do estágio de evolução da doença habitantes e da projeção de óbitos obtiveram bandeiras amarela e vermelha, respectivamente.Houve crescimento nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos 7 dias, que passaram de 27 para 48 registros nesta semana, aumento de 78%. Com o registro de 16 óbitos nos últimos sete dias, houve crescimento de 33% em relação aos registrados na semana anterior (12óbitos).

No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 910 ativos e 3.906 recuperados. Com isso, a razão entre as duas variáveis ficou em 0,23, uma melhora em comparação a mensuração anterior, que estava em 0,35. Destaca-se que a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região.

Desde o dia 15 de dezembro, o governo do Estado retomou a cogestão regional, que havia sido suspensa por 14 dias para permitir a adoção de protocolos de prevenção comuns no Estado e reduzir a contaminação por coronavírus.

O esporte amador voltou a ser permitido na região, desde que sejam respeitados protocolos sanitários. Em Lajeado, bares, restaurantes e similares podem agora fechar às 24h e não mais às 23h, como era o antigo limite.

Números da Covid-19 na semana no Vale do Taquari

Na semana de 01 a 07 de janeiro, utilizada na 36ª rodada do programa, a região de Lajeado teve 912 casos e 16 mortes. Foi o recorde de vítimas da doença em uma única semana desde o começo da pandemia. No período anterior, de 25 a 31 de dezembro de 2020, o Vale do Taquari teve 693 casos e 12 mortes. Os números apontam um aumento de 31,6% nos casos e 33,3% nos óbitos.

Leitos de UTI

Dos 65 leitos de UTI disponíveis no Vale do Taquari, 48 (73,8%) estavam ocupados às 17h desta quinta-feira (07). Eram 20 pessoas em leitos de UTI geral (41,7%), sem ligação com a Covid-19; 16 com confirmação de coronavírus (33,3%) e 12 com suspeita do vírus (25%). Na quinta-feira anterior eram 48 (73,8%) internações, sendo 21 pessoas em leitos de UTI geral (43,8%) – sem ligação com a Covid-19 – 20 com confirmação de coronavírus (41,7%) e sete com suspeita do vírus (14,6%).

Texto: Caroline Silva

jornalismo@independente.com.br

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui