Reino Unido bloqueia bens de Abramovich, dono do Chelsea; venda do time e de ingressos ficam suspensos

Sanções anunciadas nessa quinta (10) atingem sete bilionários russos que possuem conexão com Putin. O governo britânico disse que o time de futebol poderá continuar jogando


0
Roman Abramovich durante entrega do troféu da Premier League inglesa ao Chelsea em Londres, em maio de 2015 (Foto: Matt Dunham/AP/Arquivo)

O Reino Unido anunciou, nesta quinta (10), o congelamento de ativos do dono do clube inglês de futebol Chelsea FC, Roman Abramovich, por causa da conexão dele com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, além de sanções a seis outros oligarcas russos.

No início do mês, Abramovich havia colocado à venda o clube inglês e disse que destinaria o lucro para vítimas da guerra na Ucrânia. O bloqueio dos bens anunciados hoje impede essa venda.

Também ficam suspensas a venda de novos ingressos e mercadorias do time, bem como a negociação de jogadores. No entanto, o governo britânico disse que o Chelsea poderá continuar jogando e quem já tem ingressos poderá ir aos jogos.

“As sanções de hoje fazem parte do suporte constante do Reino Unido pelo povo da Ucrânia. Seremos impiedosos na perseguição àqueles que permitem a morte de civis, destruição de hospitais e ocupação ilegal de territórios soberanos”, disse o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson.

Havia uma pressão do parlamento britânico por uma ação contra Abramovich e outros oligarcas russos ligados a Putin, criticando que o governo não estava agindo tão rápido como a União Europeia e os Estados Unidos.

Veja quem são os outros bilionários sancionados pelo Reino Unido:

  • Igor Sechin, CEO da Rosneft
  • Oleg Deripaska, acionista do grupo En+
  • Dmitri Lebedev, chefe do banco Rossiya
  • Alexei Miller, CEO da Gazprom
  • Nikolai Tokarev, presidente da Transneft
  • Juntos, a soma dos bens dos sete bilionários russos, entre eles Abramovich, fica em torno de US$ 19 bilhões.

Uma porta-voz do Abramovich afirmou que ainda não pode fazer comentários sobre a decisão do governo britânico.

Campeonato de futebol

Nadine Dorries, ministra britânica de esportes, disse que o governo ofereceu uma licença especial para que time continue jogando, pague seus funcionários e permita que as partidas aconteçam. O objetivo é não prejudicar o campeonato.

“O governo vai trabalhar com as ligas e clubes para que o futebol continue, ao mesmo tempo que permita que as sanções acertem quem precisa”, disse Dorries.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui