Repraas e Polícia Civil prendem traficantes de animais silvestres, em Nova Hartz

Com os traficantes foram encontrados vários pássaros da espécie corrupião, uma espingarda, duas garruchas e dezenas de cartuchos


0

Em operação realizada nesta quinta-feira (10), a Rede de Proteção Ambiental e Animais (Repraas), com sede em Teutônia, e que atua em todo o estado, e a Polícia Civil, prenderam dois homens por tráfico de animais silvestres em Nova Hartz. Os criminosos negociavam pássaros vindos dos Noroeste, Centro-Oeste e Sudeste do País para o Rio Grande do Sul. A polícia chegou até os suspeitos através de denúncias apuradas pela Repraas, que realiza um trabalho de inteligência ambiental.

 

Os dois homens foram presos e encaminhados à Delegacia de Polícia Civil de Nova Santa Rita. Com os traficantes foram encontrados vários pássaros da espécie corrupião, uma espingarda, duas garruchas e dezenas de cartuchos. Foram apreendidos também cascos de tatu, de tartaruga, dezenas de gaiolas e uma porção de drogas. Uma das espécies de pássaros encontradas foi o Corrupião, originários dos estados do Nordeste, Centro-Oeste e do Sudeste, Leste do Pará, Maranhão, Goiás e Tocantins.

O tráfico de animais silvestres é considerado um dos mais lucrativos comércios ilegais do mundo. Movimenta aproximadamente 20 bilhões de dólares por ano, sendo a terceira atividade clandestina que mais gera dinheiro, ficando atrás do tráfico de drogas e de armas. A Repraas, é responsável indiretamente pelas maiores operações realizadas nos últimos anos.

O trabalho socioambiental, já levou dezenas de traficantes, caçadores a terem seus crimes noticiados ao poder judiciário. A ajuda dos órgãos públicos é fundamental para o êxito nas ações. Todos os animais apreendidos, são destinados a Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) e Ibama. A maioria dos animais é reintroduzida a natureza. CC

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui