Reunião em Porto Alegre aborda possibilidade de compensação para municípios que sediarem praças de pedágio

Prefeito de Mato Leitão diz que instalação de praça no município seria apenas transferência de um problema que já ocorre em Cruzeiro do Sul


0

Prefeitos de cinco municípios da região — Arroio do Meio, Encantado, Lajeado, Cruzeiro do Sul e Mato Leitão — se reuniram com o chefe da Casa Civil do RS, Arthur Lemos, e o secretário extraordinário de Parcerias, Leonardo Busatto. Em pauta na manhã desta segunda-feira (16), em Porto Alegre, a discussão sobre o modelo de concessão de rodovias à iniciativa privada.

Os líderes regionais reforçaram a contrariedade ao modelo de outorga e debateram a localização das praças de pedágio. Na reunião também foi abordada a possibilidade de os municípios que sediarem praças recebam uma compensação financeira.

O prefeito Marcelo Caumo, de Lajeado, reconhece que é uma equação complexa. A duplicação só é possível com pedágio, que precisa de uma tarifa adequada para ser sustentável, viabilizada pelo fluxo de veículos compatível.

VÍDEO: Confira a fala de Marcelo Caumo

O número de praças permanecerá o mesmo, com duas na região. A localização deve ser estabelecida por uma análise técnica. Hoje elas estão instaladas entre Cruzeiro do Sul e Mato Leitão, e Arroio do Meio e Encantado.

Uma hipótese que foi aventada é a transferência da praça de Cruzeiro do Sul para Mato Leitão. Para o prefeito do município, Carlos Bohn, “o problema que tem em Cruzeiro estaria apenas deslocando para Mato Leitão”.

De acordo com ele, não há fundamentação técnica para essa transferência, pois o trecho é curto, há duas entradas que dão acesso a localidades e uma entrada que dá acesso ao centro de Mato Leitão. “São várias rotas de fuga. Não se justifica uma praça ali”, conclui. “Trocar de local só por trocar não seria a solução”, defende.

VÍDEO: Confira o depoimento do prefeito de Mato Leitão


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui