Revoltados com férias de creches, pais vão até a prefeitura de Estrela cobrar explicações

Após se reunir com vereadores na Câmara, um grupo de pais e mães seguiu até o prédio do Executivo


1
Foto: Caroline Silva

Um grupo de pais e mães de alunos da rede de Ensino Infantil Municipal de Estrela convocou uma reunião com vereadores no Legislativo na tarde desta quinta-feira (21) para pedir apoio para barrar uma decisão da Secretaria de Educação. Um memorando interno, assinado pela secretária de educação, Elisângela Mendes, decreta férias coletivas de professores e monitores de creches municipais a partir da próxima semana.

O grupo diz que foram comunicados pelas escolas na última terça-feira (19) e que nunca houve férias das monitoras neste período. Luana da Silva é mãe de uma aluna da Casa da Criança e diz que não são contra o período de férias das monitoras, mas é preciso haver um aviso com antecedência. “A gente quer frisar que não somos contra as férias de professoras e monitoras porque conforme a posição da secretaria publicada nas mídias parece que somos contra. Precisa haver um planejamento, não podemos deixar nosso filhos com qualquer pessoa do dia para a noite”, desabafa.

Já Ângela Maria Weber diz que não sabe onde irá deixar a filha na semana de férias. “Minha filha não tem avós de nenhuma parte, meu marido é caminheiro, eu tenho que me virar sozinha, fica difícil eles avisarem na terça. Na terça de manhã nem a creche sabia e a tarde recebemos o comunicado. A gente fica de mãos atadas”, relata.

Foto: Caroline Silva

Os vereadores João Braun, Humberto Canigia, Márcio Mallmann, e Volnei Zancanaro, receberam o grupo na Câmara e acompanharam os pais até a prefeitura. O grupo queria ouvir a secretária, mas não foram recebidos por nenhum trabalhador da pasta. Não satisfeitos, os parlamentares insistiram por respostas e foram recebidos pelo vice-prefeito, João Schäfer, que prontamente atendeu o grupo.

A pedido do vice-prefeito, uma representante da secretaria de educação atendeu os pais de alunos e anotou as reclamações, com a promessa de repassá-las para a secretária. O vereador Canigia fala acreditar em efeitos positivos após a conversa. “A ideia é esperar resposta da secretária para ver se esse decreto vai continuar ou não. Não foi um protesto e sim um diálogo, onde os pais queriam colocar a situação”, comenta.

Em nota a secretária Elisângela disse que ”o recesso escolar se faz necessário a fim de proporcionar capacitação e aperfeiçoamento dos profissionais da rede para atendimento de nossas crianças e adolescentes. Além disso, prezando sempre pela unicidade dos processos da Rede, adotou o Recesso Escolar para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, entendendo que a unificação deste período para todas as etapas atendidas possibilita o fortalecimento do convívio e manutenção dos vínculos e laços familiares das crianças e adolescentes, criando memórias significativas. Também é importante destacar que todas as demais redes do município adotam recesso escolar para todas as atividades pedagógicas”, diz um trecho da nota.

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui