RGE regulariza mais de 800 “gatos” e recupera 11,2 GWh em 2020 no Vale do Taquari

Entre os municípios com maior recuperação de energia, Lajeado registrou 3 mil MWh


0

A RGE recuperou 11,2 GWh de energia em 2020 no Vale do Taquari. As ações da empresa contra fraudes e furtos de energia, os famosos “gatos”, nos municípios da região, é uma combinação de esforços dos investimentos no uso de inteligência, tecnologia e de informações que chegam pelo canal de denúncias.

As inspeções realizadas ao longo do ano resultaram em 847 fraudes regularizadas. Com isso, o volume de energia recuperado seria suficiente para abastecer 74,6 mil residências durante um mês. “A RGE está cada vez mais empenhada em identificar e combater fraudes e furtos de energia com foco em ampliar a qualidade e confiabilidade do fornecimento de energia oferecido. Os esforços fazem parte do trabalho contínuo da empresa e são viabilizados tanto por meio de parcerias com órgãos públicos e autoridades policiais, quanto investindo em tecnologia de ponta e especialização das equipes em processos de monitoramento e análise”, afirma Marco Antonio Villela de Abreu, presidente da distribuidora. Segundo ele, a recuperação de energia também representa retorno aos cofres públicos em forma de impostos (ICMS e PIS/Cofins) que não foram pagos e são revertidos para benefício da população.

“É importante esclarecer que furto de energia é crime, pode trazer riscos à segurança das pessoas e prejudica diretamente a população com instabilidade no fornecimento a energia e perda de arrecadação de impostos, importantes para manter serviços públicos no município. Por isso, a CPFL mantém um canal de denúncia fácil e anônimo para quem quiser informar possíveis casos de fraudes”, ressalta Rafael Lazzaretti, diretor comercial do grupo.

Entre os municípios com maior recuperação de energia na região, Lajeado registrou 3 mil MWh, ficando em primeiro lugar. Estrela ocupa a segunda posição com 2,3 mil MWh. Encantado é o terceiro da lista com 1,3 mil MWh, enquanto Arroio do Meio e Cruzeiro do Sul fecham o ranking em quarto e quinto lugar, respectivamente.

Fraudes e furtos de energia são crimes previstos no Código Penal com penas que podem chegar a até quatro anos de prisão. Além disso, a pessoa que for flagrada cometendo a irregularidade terá cobrados os valores retroativos referentes ao período em que deixou de pagar pelo fornecimento. Em 2020 os números de boletins de ocorrência registrados contra fraudadores cresceram, somando 32 boletins de ocorrência na RGE.

Uma das consequências ocasionadas pela ação de fraudes e furtos de energia elétrica é a piora na qualidade do serviço de distribuição. Isso se dá pela sobrecarga do sistema provocada pelas ligações clandestinas.

Clientes da RGE podem contribuir de forma sigilosa, para o combate às irregularidades por meio dos canais disponibilizados pela concessionária. Denúncias podem ser realizadas pelo aplicativo “CPFL Energia”, disponível para todas as plataformas de dispositivos móveis ou pelo http://bit.ly/FurtoRGE. AI/RC

 


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui