Rio Grande do Sul pode criar entre 7 mil e 9 mil vagas temporárias para atender demanda de final de ano, diz entidade

A expectativa é de que a maior parte dos temporários, cerca de 50%, seja contratada por lojas do segmento de vestuário, calçados e acessórios.


0
Foto: Divulgação

O último trimestre de 2021 deve resgatar uma característica marcante do varejo que foi muito afetada no ano passado em função da crise sanitária gerada pela pandemia, a contratação dos trabalhadores temporários. O final de ano, tradicionalmente, é o período em que o comércio realiza a contratação de colaboradores extras para reforçar as equipes e poder atender o aumento da demanda do Natal. As vagas temporárias também podem significar a possibilidade de efetivação ao final do período.

No Estado, a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) prevê que entre 7 mil e 9 mil vagas temporárias de trabalho para o setor podem ser geradas, especialmente nos meses de novembro e dezembro. “Por tudo que o comércio viveu em 2020, um ano totalmente atípico, a possibilidade de retomada das contratações de temporários neste 2021 traz dois aspectos muito importantes: o reaquecimento das vendas e o surgimento de novos postos de trabalho, fundamentais para amenizar o elevado índice de desemprego que o país registra atualmente”, diz o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch.

Fonte: O Sul

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui