RS registra 162 óbitos e 5.767 novos casos de Covid nesta terça-feira

Até às 17h desta terça, 87,1% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados


0
Foto: Reprodução / Shutterstock

O Rio Grande do Sul registra 162 óbitos e 5.767 novos casos de Covid-19 conforme a Secretaria Estadual de Saúde nesta terça-feira (01). Agora o estado chega a um total de 1.091.074 casos confirmados de Covid-19. Desses, 1.044.374 (96%) estão recuperados (96%); 18.264 (2%) casos ativos e 28.354 pessoas morreram em decorrência do coronavírus (2,5%).

Leitos

Às 17h desta terça-feira (01), 87,1% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 2.975 pacientes para 3.417 leitos disponíveis.

Vacinação

Rio Grande do Sul já tem 3.168.044 de pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o que representa 27,7% dos 11.422.973 habitantes gaúchos. Desses, 1.520.172 (13,3%) já receberam a segunda dose.

Brasil

Conforme informações do site G1, o Brasil registrou 874 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando nesta segunda-feira (31) 462.966 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias chegou a 1.849 – o quarto aumento seguido. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -5% e indica tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes do vírus.

É o 13º dia seguido de estabilidade nessa comparação. Isso significa que o ritmo atual tem se assemelhado mais a um platô do que a uma queda ou a um aumento na curva.

Com 58.679 mortes registradas, maio chega ao fim como o terceiro mês mais mortal da pandemia. O mês anterior, abril, foi o pior já registrado, com 82.401 óbitos. Em segundo lugar aparece março deste ano, com 66.868 vítimas. Esses últimos três meses, os mais mortais desde a chegada do vírus, juntos respondem por 44,9% de todos os óbitos da pandemia.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta segunda. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde. Fonte: G1

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui