RS registra 17 óbitos e 174 novos casos de covid nesta quinta-feira

Até às 16h30 desta quinta, 55,6% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados


0
Foto: Ilustrativa / Freepik Divulgação

O Rio Grande do Sul registrou nesta quinta-feira (16), 17 óbitos e 174 novos casos de covid. Agora, o Estado chega a um total de 1.499.247 casos confirmados. Desses, 1.461.368 são considerados recuperados (97,4%); 1.441 casos ativos (0,1%) e 36.337 morreram em decorrência do coronavírus (2,4%).

Leitos

Às 16h30 desta quinta-feira (16), 55,6% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 1.779 pacientes para 3.200 leitos disponíveis.

Vacinação

O sistema de registros de pessoas vacinadas no RS não é atualizado desde o dia 9 de dezembro. Até esta data os números eram os seguintes: 8.904.911 pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a covid, o que representa 77,6% dos 11.466.630 habitantes gaúchos. Desses, 7.692.839 já receberam a segunda dose (67%); e 304.444 receberam dose única (2,6%), totalizando 7.997.283 pessoas com o ciclo vacinal completo (69,7%).

Brasil

Conforme informações do site G1, o Brasil registrou nesta quarta-feira (15) 227 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, com o total de óbitos chegando a 617.348 desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 150. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de -31% e aponta tendência de queda. Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta quarta. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Um ataque hacker no site do Ministério da Saúde, no aplicativo e na página do ConecteSUS – plataforma que mostra comprovantes de vacinação contra a Covid-19 – na madrugada de sexta-feira (10), afetou indiretamente a divulgação de casos e mortes em GO, MS e TO, que não informaram novos dados. É o 6º dia seguido com problemas decorrentes do ataque, apontados por diferentes estados.

Texto: Rita de Cássia
redacao@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui