RS tem 53 óbitos e 1.527 novos casos de Covid-19 neste domingo

Ocupação de leitos de UTI subiu para 86,2%


0
Foto: iStock / Divulgação

O Rio Grande do Sul registrou 53 óbitos e 1.527 novos casos de Covid-19 neste domingo (30), conforme a Secretaria Estadual da Saúde. Uruguaiana teve o maior número de mortes informadas: cinco. Porto Alegre, Passo Fundo e Caxias tiveram três óbitos. O Vale do Taquari teve dois óbitos e três novos casos da doença divulgados neste domingo.

Agora o estado chega a um total de 1.084.263 casos confirmados de Covid-19. Desses, 1.037.241 estão recuperados (95,6%); 18.782 são casos ativos (1,8%) e 28.158 pessoas morreram em decorrência do coronavírus (2,6%).

Leitos

Às 17h deste domingo (30), 86,2% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 2.945 pacientes para 3.417 leitos disponíveis.

Vacinação

Rio Grande do Sul já tem 3.108.965 pessoas vacinadas com a primeira dose da vacina contra a Covid-19, o que representa 27,2% dos 11.422.973 habitantes gaúchos. Desses, 1.491.751 (13%) já receberam a segunda dose.

Brasil

Conforme o site G1, O Brasil registrou 1.971 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando neste sábado (29) 461.142 óbitos desde o início da pandemia. Com isso, a média móvel de mortes nos últimos sete dias chegou a 1.836 -maior do que a da véspera. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de – 4% e indica tendência de estabilidade nos óbitos decorrentes do vírus.

É o 11º dia seguido de estabilidade nessa comparação. Isso significa que o ritmo atual tem se assemelhado mais a um platô do que a uma queda na curva.

Também foram informados 78.352 novos casos nas últimas 24 horas, chegando a um total de 16.471.009 infectados. A média de novos casos nos últimos sete dias é de 60.644 por dia (variação em 14 dias: – 4%)

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h deste sábado. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

Texto: Ricardo Sander
ricardosander@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui