Santa Clara do Sul vai prorrogar até 30 de novembro pagamento de IPTU e alvarás com desconto

Projeto para amenizar impactos da pandemia deve ser votado nesta quarta-feira (10) na sessão da Câmara


0
Foto: Prefeitura de Santa Clara / Divulgação

Santa Clara do Sul – Com o objetivo de amenizar os impactos ocasionados pela pandemia do coronavírus, o governo municipal de Santa Clara do Sul encaminhou projeto de lei à Câmara de Vereadores para ser votado nesta quarta-feira (10), prorrogando o vencimento do IPTU, alvarás e demais taxas para 30 de novembro, além de manter o atual desconto de 14% para quem quitar as taxas até esta data.

A proposta também estende, até 30 de dezembro, o prazo para pagamento dos impostos com desconto de 9%. Além disso, fica prorrogada a vigência dos alvarás sanitários que vencem em 2021, bem como o prazo para pagamento da Taxa Anual de Vigilância Sanitária – VISA para 30 de novembro.

Na manhã desta quarta-feira, o prefeito Paulo Kohlrausch se reuniu com representantes do comércio e se colocou à disposição dos empresários para definir outras ações para amenizar os impactos causados pela pandemia. “Temos todo o interesse em ajudar e, para isso, é fundamental que a Associação Comercial e Industrial de Santa Clara do Sul (Acisc) seja reativada no município”, destacou.

Kohlrausch adiantou que a prorrogação do vencimento do IPTU e dos alvarás é um dos incentivos dentro da proposta de auxiliar o comércio e que novas medidas serão tomadas posteriormente em conjunto com os empresários assim que a Acisc retomar as atividades.

Um dos representantes dos empresários que participou do encontro, Charles Thomas adiantou que o grupo se organizará no sentido de formatar uma nova diretoria e reativar a Acisc. “Além de importante entidade representativa da indústria, comércio e serviços, a associação vai possibilitar parcerias com a administração municipal”, salientou.

Além das ações em nível local, com os municípios implantando medidas de acordo com suas realidades, a Amvat vai apresentar ao Governo do Estado a solicitação dos prefeitos de que os estabelecimentos que vendem produtos não essenciais possam atuar por meio do serviço de take-away (pegue e leve) e os salões de beleza tenham a possibilidade de atender seus clientes com hora marcada. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui